Carro popular: veja os automáticos mais baratos e os que saem de linha

autos & etc
09.10.2021, 06:00:00
Depois do up!, a Volkswagen confirmou que o Fox deixou de ser produzido. Agora, o único popular da marca no mercado brasileiro é o Gol (Fotos: Divulgação)

Carro popular: veja os automáticos mais baratos e os que saem de linha

Volkswagen Fox sai de linha e limita ainda mais as opções entre os modelos de entrada

Além dos preços dos carros zero-quilômetro aumentarem e dos usados serem corrigidos constantemente, vários modelos estão deixando o mercado. Nos últimos meses, vários produtos mais acessíveis deixaram de ser opção para o consumidor brasileiro. 

Nesta semana, a Volkswagen anunciou oficialmente o fim da produção do Fox, segundo compacto da marca alemã que deixa de ser feito no país, poucas semanas depois da confirmação de que o up! será descontinuado. Os dois hatches da Volkswagen se juntam a Citroën C3, Ford Ka (duplamente: hatch e sedã), Nissan March e Toyota Etios. Desses, o único que vai voltar é o C3, mas sob as formas de um SUV compacto no ano que vem.

O Citroën C3 deixou de ser oferecido há alguns meses
O Citroën C3 deixou de ser oferecido há alguns meses
O Ford Ka, hatch e sedã, parou de ser produzido em janeiro
O Ford Ka, hatch e sedã, parou de ser produzido em janeiro
O Nissan March é outro que não é mais oferecido no país
O Nissan March é outro que não é mais oferecido no país
A Toyota produz o Etios no Brasil apenas para exportação
A Toyota produz o Etios no Brasil apenas para exportação
Há algumas semanas a VW confirmou a saída do up!
Há algumas semanas a VW confirmou a saída do up!

A lista já tem um próximo candidato: Fiat Uno, carro que ocupa a segunda posição entre os mais vendidos da história do Brasil com 3,2 milhões de unidades emplacadas. Mas em setembro o hatch teve apenas 323 exemplares licenciados no mercado nacional. Na Bahia, apenas um carro foi emplacado no último mês.

Outro Fiat que está com dias contados é o Doblò, que chegou ao mercado em 2002 e teve sua última atualização em 2012. Em setembro, o utilitário somou 506 emplacamentos no país e no mercado estadual nenhuma unidade foi licenciada. Vendido em apenas uma versão, a Essence, o veículo custa R$ 126.490 sem nenhum opcional. 

Um dos motivos da saída do Doblò é a motorização. O propulsor atual não atende as normas de emissões que vão entrar em vigor no próximo ano e o custo para adequar um novo são altos para um produto que vende pouco.

A legislação deverá levar outros carros, como a versão R.S. do Sandero, que utiliza um motor 2 litros. A saída seria a Renault instalar o motor 1.3 turbo que está sendo utilizado no Captur. Mas atualmente o propulsor é importado da Espanha, o que aumenta os custos. Se viesse a ser produzido no Paraná, facilitaria a sobrevida do esportivo.

Transmissão automática
Além de perder opções de entrada, o consumidor viu diminuir as oportunidades de comprar um carro automático mais barato. Prova disso é o Sandero, que continua em linha, mas apenas uma versão é contemplada com transmissão automática, a aventureira Stepway. Ou seja, ter um Sandero no qual você não precise passar marchas custa R$ 100.490.

Atualmente, o Chevrolet Onix é o automático mais acessível do Brasil

Dos modelos atuais, a opção com transmissão automática mais barata entre os carros novos é o Chevrolet Onix, que na versão AT Turbo, nome alusivo ao motor 1 litro turbinado, custa R$ 68.390. A segunda posição fica com o Volkswagen Gol, oferecido por R$ 80.690 na versão com motor 1.6. Na sequência, vem o Hyundai HB20, a opção inicial para um automático é a versão Platinun AT, que custa R$ 87.090.

Na quarta posição aparece o Peugeot 208, oferecido por R$ 92.990 na configuração Active com propulsor 1.6. Em quinto lugar, com motor 1.8, vem o Fiat Argo Trekking que custa R$ 92.290.

Até o último mês uma das opções mais baratas era o V-Drive, a primeira geração do Versa. Mas a Nissan deixou de produzir o sedã no interior do Rio de Janeiro e importa a nova geração do México. Agora, a opção mais barata da marca é o Versa Sense CVT, tabelado por R$ 93.850.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas