Chuva, suor e cerveja no CarnAustrália 2019 com Jammil e Compadre Washington

variedades
17.03.2019, 11:30:41
Atualizado: 17.03.2019, 11:52:00
(Foto: @gcashots/Divulgação)

Chuva, suor e cerveja no CarnAustrália 2019 com Jammil e Compadre Washington

O público, de mais de três mil pessoas, esgotou os abadás

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O Carnaval em Salvador terminou dia 6 de março. Dez dias depois, no sábado (16) a folia atravessou o Oceano Pacífico e veio parar na distante Oceania. Mais precisamente na cidade de Brisbane (Austrália) onde aconteceu a segunda edição do CarnAustrália.

Um público estimado em mais de três mil pessoas, segundo a produção, esgotou os abadás e comprou ingresso avulso para pular, curtir e matar a saudade da folia baiana ao som da Banda Jammil com Levi Lima e É O Tchan representado por Compadre Washington. Por ter assumido compromissos pessoais Beto Jamaica não pode vir. Ainda teve a banda local, Terremoto, formado por músicos brasileiros fazendo a abertura.

Compadre Washington representou o É o Tchan (Foto: @gcashots/Divulgação)

Durante todo o dia do sábado a chuva ameaçava desabar na cidade de Brisbane. Deixando apreensivos os organizadores e produtores, todos baianos, Danilo Pedreira e Paula Magalhães (que moram na Austrália) e Gustavo Andrade que mora na Bahia.

E coube à banda Terremoto fazer o aquecimento da festa enquanto os foliões iam chegando. Alguns com fantasias bem originais, outro carregando um canguru de plástico (um dos símbolos mais famosos da Austrália ao lado do coala e da ópera de Sidney). O objetivo era se divertir. E diversão foi o que não faltou com muita cerveja e petiscos para aguentar a jornada.

(Foto: @gcashots/Divulgação)
(Foto: @gcashots/Divulgação)
(Foto: Osmar Marrom Martins)

Primeiro convidado da noite, Compadre Washington, acompanhado por seu diretor musical John John e os músicos do Jammil entrou com todo gás. Em mais de uma hora de show ele cantou um hit atrás do outro (Dança da Cordinha, Segura o Tchan, Tchan no Egito, Tchan no Havai). Sedentos do Carnaval de Salvador a galera caiu na quebradeira, se esbaldou o máximo que pode e ainda ajudou a escolher a loira e a morena do Tchan na Austrália. As vencedoras foram Patrícia (loira) e Jéssica (morena). E foi nessa vibe que Washinton chamou várias pessoas para o palco e a festa pegou fogo.

Depois dessa suingueira quem veio logo em seguida foi o Jammil. Ai o axé invadiu o espaço e na mesma pegada do ano anterior, o vocalista Levi Lima mandou ver. Um sucesso colado no outros desde Milla até Colorir papel passando pela nova, Resenha do Dread, mais conhecida como "tira o boné, bota o boné", que ele gravou com Beto Jamaica. A multidão não deu trégua. Foi uma grande apresentação. Assim que a festa acabou a chuva caiu com gosto. Como se estivesse lavando a alma dos brasileiros que se esbaldaram em mais uma edição do CarnAustrália que já se consolidou como o grande evento na Oceania.

O jornalista Osmar Marrom Martins viajou para Brisbane (Austrália) a convite da produção do evento. 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas