Cinco do Central Park: um caso de racismo

entretenimento
16.06.2019, 06:00:00
Atualizado: 17.06.2019, 14:30:06
A série Olhos que Condenam conta a história de cinco adolescentes negros acusados injustamente (Divulgação)

Cinco do Central Park: um caso de racismo

Olhos que Condenam é a série mais vista da Netflix desde que estreou há duas semanas; corra pra ver

O Correio oferece acesso livre a todas as notícias relacionadas ao coronavírus. Entendemos que informação séria e confiável é importante nesse momento. Colabore para que isso continue. Assine o Correio.


É difícil assistir à série Olhos que Condenam e não se sentir  incomodado ou revoltado. O novo trabalho da diretora americana Ana DuVernay, 46 anos, baseado na história real conhecida como Cinco do Central Park, vai direto ao ponto. Mostra como a polícia de Nova York forjou uma narrativa para incriminar cinco adolescentes negros, de 14 a 16 anos,  pelo estupro brutal uma corredora branca no Central Park, em 1989. Depois de dez anos presos, eles receberam uma idenização milionária da justiça.       

Disponível na Netflix, a série de apenas quatro episódios amplia o tema enfrentado corajosamente pela diretora em seus últimos trabalhos: o racismo histórico e institucional americano. Num dos episódios, o agora presidente Donald Trump aparece (em imagens reais) pedindo a condenação dos jovens, muito antes deles serem julgados.  Lá como aqui, é duro fazer essa revisão sem despertar muitos ânimos. 

Tanto que as duas principais responsáveis pelo caso tiveram que vir a público se explicar por suas ações depois da estreia de Olhos que Condenam, há duas semanas. A ex-promotora Linda Fairstein, responsável pela acusação, se afastou no dia 8/06 do conselho universitário da Faculdade de Vassar, onde estava atuando atualmente. Saiu dizendo que a história estava “cheia de distorções e falsidades”. Já Elizabeth Lederer, promotora-chefe do caso, renunciou ao cargo de professora na Universidade de Columbia na última quinta, por pressão dos estudantes.

Além do tema urgente e relevante, a série nos pega de jeito, com atuações impecáveis (com destaque para os cinco jovens atores), condução no limite da tensão, uma boa reconstituição de época e uma trilha sonora envolvente. Segundo a Netflix, que comemorou nas redes sociais, Olhos que Condenam já é a série mais assistida do serviço desde o dia 31. 


Dois filmes fundamentais de Ava DuVernay

13ª emenda (2016)

davis
A escritora e militante Angela Davis é uma das entrevistadas de 13 ª Emenda (Foto: Divulgação)

Foi a primeira produção de Ava DuVernay para a Netflix. E digamos que é uma espécie de fundamentação da tese que ela sustenta em ‘Olhos que Condenam’.  Atrevés de muita pesquisa e entrevistas com  políticos, militantes, acadêmicos e ex- prisioneiros, a diretora mostra como o sistema penal americano trabalhou para punir a população negra desde que a 13ª Emenda - que veio para acabar com  a escravidão - foi aprovada.  O documentário ganhou o prêmio Bafta de cinema.  

selma
Selma faz um recorte num momento decidivo da luta anti-segregacionista nos Estados Unidos (Foto:Divulgação) 

Selma -  Uma Luta Pela Igualdade (2014)
O filme conta a história da luta do pastor e ativista  Martin Luther King (1929-1968) para garantir o direito de voto dos afrodescendentes - uma campanha perigosa,  que culminou na marcha épica de Selma a Montgomery, no Alabama, e que estimulou a opinião pública e convenceu o presidente Johnson a implementar a Lei dos Direitos de Voto em 1965. O elenco conta com a presença de  Oprah Winfrey, parceira da diretora em vários projetos, como em Olhos que Condenam, no qual Oprah é uma das produtoras. Com Selma,  Ava foi a primeira diretora negra indicada a ao Globo de Ouro. A produção também foi indicada ao Oscar de Melhor Filme e ganhou como canção original (Glory).
 

***

O CORREIO entende a preocupação diante da pandemia do novo coronavírus e que a necessidade de informação profissional nesse momento é vital para ajudar a população. Por isso, desde o dia 16 de março, decidimos abrir o conteúdo das reportagens relacionadas à pandemia também para não assinantes. O CORREIO está fazendo um serviço de excelência para te manter a par de todos os últimos acontecimentos com notícias bem apuradas da Bahia, Brasil e Mundo. Colabore para que isso continue sendo feito da melhor forma possível. Assine o jornal.


Relacionadas
Correio.play
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/cronista-da-velha-sao-salvador-riachao-imprimiu-marca-pessoal-no-samba/
Cantor e compositor morreu na madrugada de segunda-feira (30), aos 98 anos
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/com-musica-dedicada-a-babu-baco-exu-do-blues-lanca-novo-album/
Com 9 músicas, incluindo faixas com críticas a Bolsonaro, EP foi disponibilizado nesta segunda-feira (30)
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/itau-cultural-lanca-webserie-gratuita-sobre-preconceito-violencia-e-desigualdade/
Nos primeiros episódios, Novo Mundo traz depoimentos de pastores evangélicos e é opção de reflexão nos dias de quarentena
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/salvador-unida-das-janelas-moradores-cantam-parabens-para-salvador/
O CORREIO convidou e soteropolitanos confinados aderiram ao aniversário coletivo de 471 anos da capital
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/gusttavo-lima-quebra-recorde-do-youtube-com-live-direto-de-sua-casa/
Foram 5h de show, 750 mil acessos simultâneos e 10 milhões de visualizações
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/coronavirus-sindico-instala-pia-na-entrada-de-predio-para-ajudar-vizinhos-idosos/
Espanhol radicado na Bahia decidiu ajudar na higiene no prédio que é síndico em Salvador
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/a-fe-nao-costuma-faia-como-manter-a-religiao-em-isolamento/
O amparo na religiosidade é a salvação para muitos soteropolitanos; tecnologia é aliada
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/janelas-da-quarentena-do-dj-ao-saxofone-vizinhos-transformam-isolamento-em-uniao/
Baiano é outro nível... Nos últimos dias, movimento tomou conta de Salvador: tem até Carnaval dentro de casa; confira
Ler Mais