Conheça a plataforma que usa inteligência artificial para combinar vitaminas

entre
31.07.2021, 10:00:00
(Foto: Shutterstock )

Conheça a plataforma que usa inteligência artificial para combinar vitaminas

Organismo turbinado: especialistas dão dicas sobre cuidados na suplementação e recomendam combinações para auxiliar a saúde

As respostas a vinte perguntas elaboradas por médicos e nutricionistas sobre estilo de vida, alimentação, prática de exercícios, exposição solar e doenças genéticas podem dizer muita coisa sobre sua saúde em apenas 30 segundos. É esse o tempo que os algoritmos levam para combinar um conjunto de vitaminas de acordo com a necessidade do organismo de cada um e apontar os nutrientes, substâncias bioativas, enzimas ou probióticos capazes de auxiliar na saúde e bem-estar do corpo.   

Lançado há cinco meses, a plataforma de vendas online de vitaminas, Vitamine-se, é a primeira na América Latina a utilizar inteligência artificial para identificar as deficiências vitamínicas de forma personalizada. A partir daí, o cliente só precisa aguardar seu kit ser entregue em casa.  Desde que a loja online foi criada já são mais de 500 mil acessos e 40 mil questionários respondidos, além de 2 mil clientes cadastrados, dos quais 20% são recorrentes.  

Entre as vitaminas mais recorrentes na personalização de nutrientes dentro da plataforma estão as que melhoram a qualidade do sono, como Triptofano, Magnésio Quelato e Própolis Verde. Para o auxílio na beleza da pele, unhas e cabelos, há uma procura crescente por Biotina, Ácido Hialurônico e Astaxantina. O  pack pronto com os nutrientes Cafeína, Arginina, CoQ10 mais Complexo B e Fosfatidilserina também está na lista dos que  apontam para o crescimento nas vendas.  

No portfólio da marca são 19 tipos de suplementos vitamínicos diferentes, como pontua o CEO e fundador da Vitamine-se, Augusto Cruz Neto.

“Sem as vitaminas, nosso corpo perderia boa parte das funções vitais. A Vitamine-se não substitui as orientações de médicos, mas auxilia, de acordo com as respostas dos consumidores, a personalizar as vitaminas necessárias ao organismo, considerando o estilo de vida de cada indivíduo”.  

Combinações e cuidados 
A gente aprendeu na escola que a vitamina é fundamental para o bom funcionamento do organismo – e de fato, é, como explica a nutricionista e professora da Rede UniFTC, Jalyne Malheiro: “As vitaminas são compostos orgânicos que o corpo necessita em pequenas quantidades, diariamente, e mesmo não fornecendo calorias, são indispensáveis aos processos fisiológicos. São essenciais para evitar doenças, manter a saúde do sistema imunológico, neurológico e muscular, fortalecer ossos, pele, cabelo e visão e promover o crescimento”. 

Todo mundo conhece a vitamina C como essencial para o sistema imunológico ou a A como a vitamina da visão, por exemplo. As do complexo B jogam ali na manutenção das células sanguíneas, enquanto a E ajuda no combate às doenças cardíacas lutando contra os radicais livres. A vitamina D, garantida com a exposição ao sol,  regula o metabolismo do cálcio e dos ossos.  E não para por aqui:  a K cuida do controle da coagulação sanguínea, sendo responsável pela prevenção de sangramentos e hemorragias, além de fortalecer a estrutura óssea.  

O que muita gente não sabe é o poder das combinações dessas vitaminas. Quem dá a dica é a nutricionista da Clínica Emeg, Diana Sampaio:

“Ferro mais Ácido Ascórbico (vitamina C) é uma combinação importante para a boa saúde sanguínea e dos tecidos. Aí temos alimentos fontes de ferro como carnes (vermelhas e brancas), feijões, lentilha, ervilha e vegetais verde-escuros, mais fontes de ácido ascórbico – entre elas  limão, acerola, laranja, damasco”.  

Ela recomenda também outro conjunto de vitaminas para turbinar o organismo, Cálcio mais Vitamina D mais  Ácido Ascórbico. “O cálcio e a vitamina D possuem o papel de garantir o metabolismo do tecido ósseo e muscular. Ele está presente em leites e derivados (iogurtes/ queijos, requeijão), gergelim, espinafre e aveia”, complementa.  

Mas quem precisa mesmo de suplementação vitamínica? O nefrologista e diretor médico da Clínica Senhor do Bonfim, Mauro Oliveira, chama atenção que não é só chegar na farmácia e sair comprando diversos suplementos. 

“Sempre é fundamental consultar um médico e um nutricionista para recomendar o uso de vitaminas conforme a necessidade. Algum pacientes precisam fazer reposição, principalmente aqueles que têm problemas com a absorção dos nutrientes, como os submetidos à cirurgia bariátrica. Não podemos esquecer, inclusive, dos que realizam dietas restritivas, sejam por condições médicas ou por mudança em hábitos de vida, como os vegetarianos e os veganos”, orienta.  

Segundo dados da Associação Brasileira da Indústria de Alimentos para Fins Especiais e Congêneres (ABIAD), foi registrado um aumento de 48% no número de consumidores de suplementos em 2020.  Aumentar a imunidade foi a principal motivação para 63% dos entrevistados para elevar o consumo de suplementos alimentares no período. Ainda que a pandemia tenha aquecido o mercado de vitaminas, Mauro Oliveira destaca que não há comprovação científica que esse tipo de nutriente possa tratar ou prevenir a doença.  “Uma suplementação inadequada pode trazer muitos riscos", alerta nefrologista. 

Por isso, a principal estratégia ainda é uma alimentação equilibrada, como reforça o médico. “A reposição oral de vitaminas não pode ser tratada como um assunto simples.  Cada paciente tem uma história médica prévia, traz consigo relatos de doenças anteriores, procedimentos cirúrgicos, histórias familiares e hábitos de vida”, diz.  

***

O QUE SABER ANTES DE COMBINAR VITAMINAS

1. Onde estão as vitaminas?  
Uma alimentação saudável e equilibrada consegue assegurar a ingestão adequada de vitaminas. A dica é variar e colorir os pratos, manter o ritmo intestinal com o consumo de fibras, não abrir mão de uma atividade física regular e de banhos de sol. Tudo isso pode ajudar muito a evitar qualquer tipo de carência vitamínica. 

2.Quando é realmente necessário recorrer à suplementação?  
A suplementação só é necessária quando a alimentação não suprir a necessidade diária de cada indivíduo, ou quando existe alguma disfunção fisiológica que impeça a absorção desses nutrientes

3. Qual o melhor horário para tomar um suplemento?  
Fique atento aos horários de consumo e às combinações alimentares para evitar a competição de absorção das 
vitaminas e comprometer o seu  aproveitamento. Vitaminas lipossolúveis (A, D, E e K) - aquelas que são absorvidas por meio do metabolismo das gorduras - devem ser ingeridas junto das refeições, de preferência no almoço. Já para as hidrossolúveis (complexo B e vitamina C), a recomendação é que sejam consumidas durante a manhã, por exemplo. 

4. Vitaminas podem combater o novo  coronavírus?  
Não há evidência científica de que a suplementação de vitaminas ou minerais específicos possa tratar ou prevenir a covid-19. Da mesma forma, não há comprovação da eficácia das vitaminas C e D na garantia de uma proteção adicional contra o vírus. Ou seja, não existe tratamento precoce para o coronavírus. 

5. Quais os cuidados necessários ao usar um suplemento?  
A carência de vitaminas pode trazer sintomas, porém, o excesso delas  também pode ser danoso. O cuidado principal é o de consultar um especialista e seguir as suas indicações.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas