Conheça Porto, o principal destino do interior de Portugal

bazar
26.10.2014, 07:32:00

Conheça Porto, o principal destino do interior de Portugal

Gastronomia, vinhos, arquitetura e arte fazem da cidade uma boa opção de turismo ao norte da Terrinha

A pequena Portugal se divide em Norte e Sul. Embora as diferenças pareçam mínimas para quem vem de fora, elas existem. E começam no sotaque: os patrícios de cima falam ainda mais rápido (!) que os de baixo. Se a principal referência gastronômica de Lisboa são os pastéis de belém (chamados de “natas”) e o bacalhau (À Gomes de Sá ou ao Braz), em Porto a Francesinha reina absoluta, com auxílio delicioso das pataniscas e alheiras.

Para gastar as calorias, a dica é aproveitar a beleza e o tamanho de Porto, que tem cerca de 200 mil habitantes, e caminhar. Entre prédios com cara de art nouveau e um sem fim de igrejas, dá para ver muita coisa bonita.

Não há voo direto a partir de Salvador. Mas, de Lisboa, dá para pegar um trem (por lá chamam de comboio) a partir de € 52 (ida e volta, em raileurope.com). De avião, o trajeto custa cerca de € 75 (skyscanner.com). A depender do número de paradas de sua viagem pela Europa, pode valer a pena comprar um Eurail Pass (eurail.com). O Regional Pass para dois países sai por € 133. Para quatro, € 213.

Os melhores bairros para hospedagem são Ribeira, Santo Ildefonso e Sé, pela possibilidade de conhecer quase tudo a pé. Lá, você encontra opções (booking.com) como albergues e hotéis cuja diária começa em € 10 (caso do City Drops e do Porto Alive). Um pouco mais afastados do centro, o Sheraton e o Porto Palácio Congress são opções luxuosas, com diárias em torno de € 250.

Porto, vista a partir de Vila Nova de Gaia. Visita às caves de Vinho do Porto pode ser seguida de petiscos nos restaurantes da orla do Rio Douro: ponte de D. Luís emoldura a vista (Foto: Victor Villarpando)

Vila Nova de Gaia - Os vinhos que levam o nome da cidade para o mundo - veja só - vêm do município vizinho. Em termos de proximidade, Vila Nova de Gaia está para Porto assim como Lauro de Freitas está para Salvador. Aqui, o aeroporto marca a fronteira. Lá, é o rio Douro e suas pontes. Mais famosa, a de D. Luís liga os bairros portenses da Ribeira e Fontainhas ao gaiense Serra do Pilar. É nesse trecho da orla de Gaia onde estão as principais caves de vinho do Porto, como Sandeman, Ramos Pinto, Croft e Calém. Todas recebem turistas para passeios com direito a degustação por cerca de € 5.

A Capela das Almas chama atenção na Rua de Santa Catarina: perto do mercado do Bolhão (Foto: Victor Villarpando)

Rua de Santa Catarina - Uma das principais ruas do centro de Porto, fica perto do mercado do Bolhão, que dá nome ao ponto de metrô da área. Na saída da estação, grita a Capela das Almas, igreja toda revestida com azulejos portugueses que contam as vidas de São Francisco de Assis e Santa Catarina.

Descendo a Rua de Santa Catarina em direção à Sé, há o Majestic Café, joia art nouveau de 1921, que funciona das 9h30 à meia-noite, exceto domingo (Foto: Victor Villarpando)

A Igreja da Sé é a principal da cidade: mirante (Foto: Victor Villarpando)

Sé e São Bento - A Sé do Porto é uma praça, no alto de um morro, que abriga a principal igreja da cidade, construída nos séculos XII e XIII. Não se paga para entrar no templo, mas o ingresso para o claustro custa €3. Do lado de fora tem mirante com vista para o bairro do Barredo e o Rio Douro e um Pelourinho (estrutura que usavam para bater em escravos), com detalhes ricamente trabalhados.

Tá vendo esse monumento todo imponente? Pasme, mas é um pelourinho, estrutura que usavam para bater em escravos (Foto: Victor Villarpando)

A 3 minutos de caminhada fica a estação de trem São Bento. Construída em 1896 pelo arquiteto José Marques da Silva, ela nem parece grande coisa por fora. Já por dentro, os painéis de azulejos portugueses impressionam ao contar, em cerca de 551 metros quadrados, a história do país, especialmente do norte. No átrio, um trecho colorido fala sobre os transportes em Portugal. Tudo instalado por Jorge Colaço, um dos mais famosos azulejadores de lá.

A francesinha é o prato mais famoso da gastronomia de Porto: quase um x-tudo (Foto: Victor Villarpando)

Delícias portuguesas - Cardápios de toda Porto, especialmente dos locais mais turísticos, anunciam as maravilhas da Francesinha. Mas o Big Mac do norte português - feito com duas fatias de pão de forma, recheio de presunto, mortadela, carne e linguiça, cobertura de queijo e ovo e acompanhamento de batatas fritas e um molho que mistura cerveja, vinho do porto e pimenta piri-piri - não é a única tradição gastronômica local.

As pataniscas de bacalhau e a alheira de carne de caça: itens da culinária típica de Portugal que ganham destaque no Norte (Foto: Victor Villarpando)

É muito bobo o turista que, em virtude da francesinha, despreza as crocantes pataniscas de bacalhau, que juntam o peixe desfiado à batata amassada, num petisco cuja aparência lembra o tempurá japonês. Mais inocente ainda é o visitante que não provar as alheiras. Como o nome anuncia, são linguiças artesanais temperadas com alho. Mas o diferencial está no conteúdo. Criadas pelos judeus que queriam se esconder da Inquisição católica (Idade Média), as alheiras substituem a carne de porco pela de caça (coelho, perdiz...), já que o consumo de suínos é proibido pelo judaísmo.

A Torre dos Clérigos é marco vertical: construída na primeira metade do século XVIII, tem 76 metros de altura e 240 degraus (Foto: Visit Porto/Divulgação)

Praça de Lisboa - O centro da cidade reúne shopping, cafés e pontos históricos importantes, como a Torre dos Clérigos, marco vertical de Porto. Construída na primeira metade do século XVIII, ela tem 76 metros de altura e estilo barroco. Do alto dos 240 degraus dá para ver toda a cidade, até a vizinha Vila Nova de Gaia. O bilhete simples custa € 2 e com binóculo sai por € 3.

A livraria Lello e Irmão: fachada art nouveau de 1906 e interior que inspirou a biblioteca de Harry Potter (Visit Porto/Divulgação)

Do outro lado da Praça fica a livraria Lello e Irmão, considerada pelo guia de viagens Lonely Planet como uma das 10 bibliotecas mais bonitas do mundo. Inaugurado em 1906, com fachada art nouveau e detalhes góticos, o estabelecimento inspirou a escritora J.K Rowling - que morou por lá - a criar a biblioteca de Hogwarts, da saga Harry Potter. Abre todos os dias, exceto domingo. Não paga para entrar, mas só pode tirar fotos das 10h às 11h.

A Fundação Serralves tem 18 hectares de jardins com obras de arte (Foto: Victor Villarpando)

Fundação Serralves - Composto por um museu, um casarão e jardins imensos, a Fundação de Arte Contemporânea Serralves existe há 25 anos. O patrimônio paisagístico tem 18 hectares com obras de arte ao ar livre, e o patrimônio arquitetônico inclui o edifício que abriga as mostras, projetado por Siza Vieira, e a mansão da década de 30, em art-decor, que pertenceu a um conde.

O patrimônio arquitetônico inclui também o edifício que abriga as mostras de arte contemporânea e a mansão da década de 30 (Foto: Victor Villarpando)

O conjunto foi classificado como Monumento Nacional em 2012. A entrada para museu+parque custa €8,50. Para chegar lá, salte na estação de metrô Casa da Música e pegue um dos seguintes autocarros na rotunda da Boavista: 201, 203, 502 ou 504.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas