Criança morre intoxicada em Pojuca após pai ameaçar explodir casa com gás

bahia
20.10.2020, 09:53:00
Atualizado: 20.10.2020, 14:02:13
(Reprodução)

Criança morre intoxicada em Pojuca após pai ameaçar explodir casa com gás

Suspeito, que não aceitava fim de relacionamento com mãe do garoto, foi preso

Uma criança de quatro anos foi morta pelo próprio pai em Pojuca, na Região Metropolitana de Salvador, na segunda-feira (19). A suspeita é que o pai, que não teve nome divulgado, agiu por vingança depois que a mãe de Pedro Henrique Rodrigues dos Santos terminou relacionamento com ele.

Os dois mantinham a guarda compartilhada do menino. Na manhã de ontem, a mãe foi até a sede da 32ª Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM/Pojuca) pedindo ajuda, afirmando que recebeu uma ligação do ex e que ele estava ameçando matar a criança e explodir a casa em que estavam.

A equipe da PM foi até a casa, no Parque São Francisco. O local tinha cheiro muito forte de gás de cozinha (GLP). O acusado ameaçava explodir a casa. A guarnição pediu apoio de mais equipes. Os PMs isolaram o local. Foram até lá o Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), uma viatura dos Bombeiros e uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

Os policiais negociavam com o homem, que em determinado momento deixou de responder. A entrada foi então forçada na residência e os PMs encontraram pai e filho caídos e desacordados.

Ambos foram socorridos até o Hospital Municipal Dr Carlito Silva, mas Pedro Henrique não resistiu e morreu. O acusado foi hospitalizado para tratamento, sob custódia, mas depois foi encaminhado para delegacia de Pojuca, sendo autuado por homicídio. Ele já teve o flagrante convertido em prisão preventiva e está custodiado na DT/Pojuca, à disposição da Justiça. 

(Foto: Reprodução)


***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas