Do Honda Fit ao VW Gol: conheça os carros que deixarão o Brasil em 2022

brasil
14.05.2022, 10:47:00
Com a paralização da produção da fábrica da Caoa Chery no interior de São Paulo, o Tiggo 3X deixa o mercado. O SUV foi lançado há apenas um ano (Foto: Fabio Gonzalez/Caoa)

Do Honda Fit ao VW Gol: conheça os carros que deixarão o Brasil em 2022

Da despedida do Caoa Chery Tiggo 3 e Honda Fit até o último ano do VW Gol, veja quais já saíram de linha e quais vão sair em breve

O mercado automotivo vive de ciclo e fatores externos mudam a trajetória de alguns modelos. A perda do poder aquisitivo da classe média, principal compradora do Civic, fez a Honda rever a estratégia do modelo para o mercado brasileiro. Com o segmento de sedãs em baixa, a empresa deixou de produzir o carro aqui depois de 24 anos, e vai importa-lo da América do Norte a partir do último trimestre.

O fabricante japonês também deixou de produzir o Fit, que foi ofertado por 19 anos no país, e a sua variante aventureira, o WR-V. Esse último deixou um gosto amargo: foi desenvolvido no Brasil e a sua descontinuidade foi ruim para imagem da filial com a matriz.

Baseado no Honda Fit, o WR-V deixou de ser produzido no final de 2021

A brasileira Caoa, que atua na produção, distribuição e importação de veículos perdeu recentemente o seu fundador, Carlos Alberto de Oliveira Andrade. Ele era o principal executivo do grupo e sua ausência já começa a ter reflexos: a empresa paralisou a linha de produção em Jacareí, no interior de São Paulo. Por lá, eram produzidos dois modelos frutos de sua parceria com a chinesa Chery: Tiggo 3X e o Arrizo 6.

De acordo com a Caoa Chery, o sedã será importado da China. O Tiggo 2 e o Tiggo 3X, lançado no ano passado, deixam o mercado. Manter um veículo apenas um ano à venda arranha a imagem de uma empresa que está se consolidando no país.

A Caoa também é parceira da Hyundai e deixou de produzir em Goiás o ix35. Esse veículo corresponde à segunda geração do Tucson, que atualmente está em seu quarto ciclo. A empresa continua montando a terceira geração, que denomina no país como New Tucson.

O ix35, que finalmente deixou de ser produzido, corresponde à segunda geração do Tucson

Depois de 11 anos, o Mitsubishi ASX também deixou de ser montado na unidade da HPE Autos em Catalão, Goiás. No mercado brasileiro desde 2010, o crossover começou a ser produzido no interior goiano três anos depois, e foi substituído pelo Outlander Sport.

O Mitsubishi ASX foi importado e, posteriormente, produzido em Goiás

Próximos do adeus
A Volkswagen já deu sinais de que este é o último ano do Gol, vitorioso hatch que está há 42 anos no mercado - sendo líder de mercado 27 vezes. Atualmente, o Gol e sua variante sedã, o Voyage, estão sendo oferecidos em versão única, com apenas uma opção de motor e transmissão manual. Da família Gol, ficará apenas a Saveiro.

O veterano Gol, da Volkswagen, está em seu último ano de produção

Recentemente, a VW deixou de produzir o Fox e o up!. O portfólio do Jetta também foi enxugado: agora, só é oferecido na versão esportiva GLI. No caso do sedã, a estratégia é fortalecer o Taos, SUV que foi lançado no ano passado.

Versões extintas
Há também casos de versões que deixaram de ser produzidas. Duas configurações que fizeram sucesso foram suprimidas: Hyundai HB20X e Renault Sandero RS.

A Renault até produziu uma série de despedida para o Sandero RS

O aventureiro da Hyundai tinha a menor demanda da linha (10% do mix de vendas) e preços que se aproximavam da primeira geração do Creta, que convive com a nova.

Na Renault, o que levou à saída do Sandero RS foi o fim da produção do motor 2 litros que o equipava. O propulsor não estava adequado às novas normas de emissões de poluentes e não era viável a sua atualização.

A propulsão defasada também levou embora modelos da Fiat, entre eles, os veteranos Uno, Grand Siena e Doblò. Argo e Cronos perderam versões que utilizavam o motor 1.8 e a configuração aventureira do hatch, a Trekking, agora só conta a propulsão de 1.3 litro.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas