Dólar abre em queda, mas se mantém acima de R$ 5,80

economia
13.05.2020, 13:33:02
(AFP)

Dólar abre em queda, mas se mantém acima de R$ 5,80

Dólar turismo já ultrapassa os R$ 6,10, segundo levantamento

O dólar abriu as negociações desta quarta-feira, 13, em queda, de quase 0,5%, e se mantém acima de R$ 5,80, cotado a R$ 5,82 logo na abertura. A moeda americana já registra mais de 45% de valorização somente no ano de 2020. Na útlima terça-feira, 12, houve mais um recorde de fechamento nominal, quando não se desconta a inflação, a R$ 5,86. Para se ter uma ideia do quanto a moeda americana já aumentou de cotação, no início de 2020, em janeiro, o câmbio girava em torno de R$ 4.

Nas casas de câmbio, de acordo com levantamento realizado pelo Estadão/Broadcast, o dólar turismo ultrapassa a casa dos R$ 6,10.

O risco político segue no radar local em meio a sinais mistos nas bolsas no exterior após dados de atividade industrial ruins na Europa e antes de um discurso do presidente do Federal Reserve, Jerome Powell. Investidores especulam que o BC americano poderá vir a adotar juros negativos, como parte de sua estratégia para combater os efeitos da pandemia de coronavírus.

No Brasil, há expectativas sobre o veto do presidente Jair Bolsonaro ao congelamento dos salários dos servidores até fim de 2021 no projeto de lei que autoriza repasse direto de R$ 60 bilhões aos Estados e municípios, e também sobre os desdobramentos da exibição do vídeo da reunião ministerial do dia 22 de abril. O Broadcast/Estado apurou que o presidente Jair Bolsonaro admitiu, na reunião, a necessidade de trocar o superintendente da Polícia Federal no Rio para defender a sua família, que, segundo ele, estaria sendo “perseguida”. Naquele dia, logo depois de citar a família, Bolsonaro afirmou, em tom irritado - segundo relato de investigadores -, que trocaria a superintendência fluminense da PF, chamada por ele de “segurança do Rio”.

Em meio à possibilidade de uma nova onda de contaminações pelo novo coronavírus, causador da covid-19, em países que já haviam registrado quedas significativas nos dados sobre a doença, os mercados internacionais vêm tendo uma semana agitada, com expressivas diferenças de direções, com queda e crescimento, em claro sinal de volatilidade, durante um mesmo dia.

Na manhã desta quarta-feira, 13, as Bolsas da Europa abriram as negociações em queda generalizada, não só pelo receio de novo ciclo da pandemia na Europa e na Ásia, mas também por dados econômicos fracos, como o recuo de 2% do PIB (Produto Interno Bruto) do Reino Unido e dados de empresa alemã. Na Ásia, os resultados tiveram um tom mais positivo, com apenas Hong Kong e Japão fechando com o índice de maneira negativa. Os mercados da região aguardam discurso do presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA), Jerome Powell.

***

Em tempos de desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informações nas quais você pode confiar. E para isso precisamos de uma equipe de colaboradores e jornalistas apurando os fatos e se dedicando a entregar conteúdo de qualidade e feito na Bahia. Já pensou que você além de se manter informado com conteúdo confiável, ainda pode apoiar o que é produzido pelo jornalismo profissional baiano? E melhor, custa muito pouco. Assine o jornal.


Relacionadas