Empreendedores maduros, negócios novos: como ganhar dinheiro na terceira idade?

economia
20.07.2020, 06:00:00
Evaristo Vieira precisou abandonar velhos modelos e apostar numa nova proposta para manter o negócio da família (Divulgação)

Empreendedores maduros, negócios novos: como ganhar dinheiro na terceira idade?

Cerca de 2,2 milhões de empreendedores com mais 65 anos no Brasil mostram que nunca é tarde

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Desde os 17 anos, o comerciante Evaristo Vieira da Silva Filho,60, trabalha e, durante décadas, comandou um pequeno restaurante, em Itapuã, onde servia comida à quilo para a comunidade do entorno da Unidade de Pronto Atendimento do bairro. A pandemia e a quarentena espantaram a clientela e as determinações de fechamento do comércio desestabilizaram o empresário, que não sabia mais o que fazer para manter o negócio da família. A solução chegou quando ele decidiu trocar a proposta de comercializar a comida. Ao invés de vender pratos prontos, Evaristo começou a oferecer hortaliças e frutas para quem quisesse receber produtos selecionados em casa. “A mudança deu tão certo que estamos dispensando pedidos”, comemora.

Um levantamento realizado pelo Sebrae mostrou que existem cerca de 2,2 milhões de empreendedores com 65 anos ou mais no Brasil, mostrando que nunca é tarde para começar a empreender. A analista do Sebrae Bahia, Taiane Jambeiro defende que qualquer pessoa disposta a se dedicar, aprender e se capacitar pode sim começar a empreender. “Empreendedores de mais idade costumam trazer a bagagem profissional, cultural e todos os contatos formados ao longo dos anos e podem contribuir bastante para a criação de um novo negócio”, completa.

De acordo com a consultora de transição de carreira e desenvolvimento de talentos da LHH, Cristiane Mazotto, o que existe hoje são pessoas que ainda se baseiam em antigas crenças, onde os idosos não tinham mais interesse, condições físicas, disposição e conhecimentos atualizados para empreender. “A verdade é que esse cenário já está bem diferente, pois vivemos um fenômeno mundial de envelhecimento das populações. No Brasil, segundo o IBGE, existem 30,3 milhões de idosos, seremos 68,1 milhões em 2050, e a faixa etária acima dos 60 anos é a que mais cresce”, salienta. 


A consultora salienta que o comportamento e perfil desse público têm mudado muito, pois essa população chega a idade mais avançada com saúde, tendo muito a contribuir profissionalmente.

"Alguns desejam ter a sua própria empresa; querem continuar trabalhando com regimes mais flexíveis;  desejam aproveitar a experiência acumulada e continuar aprendendo para se adaptarem às novas demandas do mercado; se preocupam com os gastos futuros com saúde; precisam garantir previdência complementar; buscam uma fonte de renda ou complementar a renda familiar e querem a independência financeira no presente e no futuro”, diz Cristiane.

Nova aposentadoria

A especialista em carreira defende que empreender após os 60 anos será cada vez mais uma alternativa que vai garantir a independência financeira e uma vida mais ativa na fase que até bem pouco tempo as pessoas de aposentavam. “Uma pesquisa do Sebrae pontua que estes profissionais se diferenciam por serem mais seguros e corajosos, e por terem mais credibilidade, tranquilidade, liberdade e respeito”, afirma Cristiane.

No entanto, antes de iniciar o negócio próprio, os maiores de 60 precisam avaliar suas motivações, competências, habilidades, interesses, e a composição do seu patrimônio (ativos e passivos), pois assim terão clareza sobre o motivo pelo qual estão atraídos para essa possibilidade. “Pessoas que se conhecem bem e reconhecem a necessidade de pedir ajuda quando necessário, aumentam suas chances de sucesso como empreendedor, por isso, é importante trabalhar com profissionais especializados em áreas que não dominam”, orienta.

Para a representante do Sebrae, o primeiro passo para empreender é se manter bem informado, alinhado com o que acontece no mercado hoje. “O Sebrae também está disponível nos mais diversos canais para prestar orientação e consultorias para quem deseja empreender. Acredito também que acessando a própria rede de contatos, conversando com outros empreendedores e colegas de profissão, é possível obter muita ajuda”, pontua Taiane Jambeiro.

Passo a passo

Depois de buscar conhecer mais do interesse sobre a vontade de empreender e buscar informações, o passo seguinte é trabalhar de forma ativa a rede de contatos, estabelecer parcerias e participar de grupos de discussão em sua área de atuação. Tudo isso facilitará a identificação de onde buscar ajuda especializada. “Por exemplo, o dono de um novo negócio provavelmente precisará de um advogado para ajudar a analisar a estrutura do negócio, as obrigações legais e riscos inerentes, contratos e suas implicações”, exemplifica Cristiane.

Ajuda especializada foi o que fez a ex manequim e modelo Marília Ferreira, 61. Depois de assistir um programa de TV que abordava empreendedorismo, ela foi buscar consultoria para aprimorar sua formação como maquiadora. “Comecei a usar ferramentas como o Google business e as redes sociais. “A coisa estava engrenando muito bem quando veio a pandemia e precisei dar uma parada porque sou grupo de risco e cuido de minha mãe, que tem 96 anos”, conta. 

Marília Ferreira descobriu a força das redes sociais para mostrar o trabalho como maquiadora especializada em peles negras e maduras(Foto: arquivo pessoal)

No entanto, ao invés de paralisar, Marília começou a investir nas redes sociais (@Marilia_mary_br) e utilizou seu rosto e experiência do passado para servir como modelo da sua especialidade: maquiar peles negras e maduras. Hoje, Marília tem sido uma voz ativa de causas como a luta contra o racismo e também vem desenvolvendo um projeto que pretende oferecer experiências de empoderamento e beleza para as mulheres mais velhas. “Cada idade tem sua beleza e é preciso que vejamos isso com mais atenção”, defende. 

Vale salientar que, hoje, o tema empreendedorismo tem sido trabalhado por várias instituições e plataformas, visando capacitar os empreendedores e alguns deles são especializados no público mais maduro, por exemplo, MaturiJobs, Lab60+, e o próprio SEBRAE. “Além disso, têm surgido iniciativas de parcerias público-privadas para formação de empreendedores acima de 60 anos, é preciso ficar de olho nesses movimentos em cada região do país”, finaliza Cristiane. 

Recomendações importantes:

1. Elaborar um plano de negócio e segui-lo à risca, fazendo ajustes conforme os aprendizados ao colocá-lo em prática;

2. Definir metas e prazos para as atividades e fazer monitoramento frequente para mantê-los atualizados;

3. Avaliar se o segmento que quer aplicar está em alta, quais são os concorrentes e o público-alvo;

4. Calcular o quanto pretende investir e o lucro que quer atingir, e se necessário fale das suas ideias com outras pessoas antes de arriscar tudo. Nesse ponto pode buscar ajuda de especialistas;

5. Também é importante ter um plano B para conter imprevistos, não investir todo o capital, deixar um dinheiro de reserva para usar em momentos extremos ou quem sabe guardar para novos negócios.
 

NEGÓCIOS MADUROS

Hoje os setores mais promissores são o de saúde, energia, educação e tecnologia. Alguns estudos internacionais apontam algumas tendências:

• Biotecnologia/biodiversidade para desenvolver remédios, agricultura, alimentos, cosméticos.

• Serviços dos mais diferentes tipos que atendam as demandas geradas pelo aumento da longevidade;

• Profissões que exijam criatividade, como as carreiras artísticas;

• Profissões que necessite de diplomacia, habilidade política, sensibilidade, capacidade de formar laços de confiança, empatia, como por exemplo, os terapeutas, psicólogos, médicos.

A maior oportunidade virá da capacidade de utilizar a tecnologia com criatividade, de saber identificar problemas e aplicar soluções.
 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas