Livro registra as indústrias baianas que fizeram história

variedades
23.05.2017, 16:10:00
Atualizado: 25.05.2017, 17:48:46

Livro registra as indústrias baianas que fizeram história

O lançamento será realizado sexta-feira (dia 26 ), no stand da Caramurê Publicações, no Shopping Barra

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Quando se pensa na capital baiana é normal acreditar que a economia local é movida essencialmente do turismo e da prestação de serviços. O que muita gente desconhece é que Salvador foi, no século  XIX, o principal polo industrial de produção têxtil no Brasil. Com o objetivo de esclarecer esse e  outros mitos sobre a capital baiana e seu entorno, será lançado no próximo dia 26, no stand da Caramurê Publicações, no Shopping Barra, às 19 horas, o livro  Indústria na Bahia: um olhar sobre sua história,  do historiador Daniel Rebouças. 

Livro mostra como as iniciativas fabris fizeram parte da economia e marcaram a sociedade baiana (Foto: Reprodução)


Ao longo dos cinco capítulos do livro, o autor resgata essa história por meio de mais de 150 imagens, entre desenhos, gravuras, rótulos e fotografias, demonstrando a presença de longa data da indústria na Bahia, com suas chaminés pela paisagem da capital e do interior, além dos seus produtos circulando pelo País e exterior. Todo o acervo é organizado de modo que o leitor possa acompanhar o desenvolvimento por ordem cronológica, promovendo uma viagem no tempo que pontua a participação da Bahia no início da Revolução Industrial no Brasil, e a atuação posterior das fábricas baianas em vários setores produtivos importantes, como na fabricação de tecidos, açúcar, charutos e nos complexos produtos químicos e petroquímicos.

De acordo com Daniel Rebouças, a ideia de publicar a pesquisa de quatro anos surgiu da observação que os projetos realizados pela editora para contar a história da Bahia não contemplavam esse aspecto. “A tradição baiana com a indústria não é recente e conhecer essa parte da história permite compreender e projetar perspectivas de futuro”, conta o historiador. Rebouças ressalta que, desde a década de 60,  quando foi implantado o Centro Industrial de Aratu, a perspectiva é que a Bahia apresente uma produção complementar ao que é feito em São Paulo. “Hoje há uma diversidade dos setores, mas a ideia de indústria complementar persiste”, esclarece o pesquisador.

No livro, o autor descreve ainda a atuação e importância de unidades industriais como Empório Industrial do Norte, Valença Industrial, Fratelli Vita e Biscoitos Tupy, além das primeiras fábricas e manufaturas surgidas ainda no século XIX. A obra permite que o leitor conheça iniciativas fabris que fizeram parte da economia e da sociedade baiana. A Fratelli Vita – dos irmãos italianos Giuseppe e Francesco Vita -  foi inaugurada em 1902 e se dedicava a produção de refrigerantes. No entanto, as dificuldades na importação a fizeram começar a produzir os engradados e, em seguida, os cristais que até os anos 60 do século XX eram conhecidos como os melhores e mais luxuosos da Bahia, se transformando no sonho de consumo de dez entre dez noivos e objeto cobiçado na lista de presentes de casamento.

A Fábrica de Biscoitos Tupy foi líder de mercado na Região Nordeste durante vários anos. Na Bahia, o fundador foi o filho de imigrantes espanhóis  Wenceslau Alban Corujeira, que além da indústria também foi sócio e fundador da Padaria A Favorita.

Daniel Rebouças pontua que, no século XIX, a industrial têxtil baiana era ligada a exportação de açúcar e fumo, mas com o tempo ela foi perdendo espaço para outros polos industriais que conseguiam desenvolver um produto mais barato e de melhor qualidade. “Toda a indústria baiana daquele período e até mesmo do século XX está baseada em quatro pilares: alimentos, açúcar (inclusive com a produção de álcool), fumo e calçados”, conta, ressaltando que essa última carece um de um aprofundamento maior na pesquisa.  

A publicação é resultado de quatro anos de pesquisa sobre esse aspecto da história da capital e interior (Foto: Márzia Lim/Divulgação)

 


O livro também aponta a importância e a interferência das conquistas de novas fontes de energia, como a chegada da eletricidade e a descoberta do petróleo, para o avanço do setor industrial no estado.

Serviço

Indústria na Bahia: um olhar sobre sua história

Lançamento no dia 26 de maio, no stand da Caramurê Publicações, Shopping Barra, às 19 horas

Autor: Daniel Rebouças

Edição: Caramurê Publicações

Valor sugerido: R$ 140,00


368 paginas

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas