Mano Brown conversa com Mãe Carmem e Ebomi Cici em podcast

entretenimento
08.06.2022, 16:58:34
Mano Brown com Ebomi Cici e Mãe Carmen de Oxum (Jef Delgado/divulgação)

Mano Brown conversa com Mãe Carmem e Ebomi Cici em podcast

No ar nesta quinta (8), no Spotify, novo episódio do Mano a Mano destaca lideranças femininas no candomblé

No episódio desta semana do podcast Original Spotify Mano a Mano, o rapper Mano Brown conversa com a ialorixá Mãe Carmem de Oxum e a mestra griô baiana Ebomi Cici. As convidadas abordam as raízes e as origens das figuras das religiões de matriz africana, seus orixás e representações, destacam a atuação das lideranças femininas nos cultos de matriz africana, comentam sobre mediunidade e diversidade religiosa, a convivência entre religiões pentecostais e africanas e a equivocada demonização de divindades das religiões afro. 

Mineira, Mãe Carmem de Oxum lidera, há mais de 40 anos, o terreiro Ilê Olá Omí Asé Opô Araká, localizado em São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo. É também membro do Fórum Inter-Religioso para uma Cultura de Paz e Liberdade de Crença da Secretaria de Justiça e Cidadania do Estado de São Paulo, criado para combater a intolerância religiosa e disseminar a convivência harmoniosa entre as diferentes fés. Grande sábia do Candomblé Nagô da Bahia, Ebomi Nancy "Cici" de Souza é autora do livro Ouça os Ancestrais e foi ajudante de Pierre Verger em documentar as conexões ancestrais entre a África e a diáspora.

Em episódios anteriores de Mano a Mano, o MC trouxe a religião judaica para debate em conversa com o líder Rabino Ventura. Já na primeira temporada, o rapper recebeu Henrique Vieira, Pastor da Igreja Batista do Caminho, em um papo sobre sociedade, religiosidade e a importância do respeito à diversidade das pessoas tendo o amor como guia para uma sociedade mais pacífica. 

***

Em tempos de desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informações nas quais você pode confiar. E para isso precisamos de uma equipe de colaboradores e jornalistas apurando os fatos e se dedicando a entregar conteúdo de qualidade e feito na Bahia. Já pensou que você além de se manter informado com conteúdo confiável, ainda pode apoiar o que é produzido pelo jornalismo profissional baiano? E melhor, custa muito pouco. Assine o jornal.


Relacionadas