Maradona estreou como técnico nos anos 90, quando era jogador

esportes
25.11.2020, 20:26:00
Atualizado: 25.11.2020, 20:26:18
Maradona foi técnico da seleção da Argentina na Copa do Mundo de 2010, na África do Sul (Foto: Daniel Garcia/AFP)

Maradona estreou como técnico nos anos 90, quando era jogador

Suspenso como atleta, ídolo comandou Mandiyú e Racing entre 1994 e 1995; em 2010, foi treinador da seleção da Argentina na Copa do Mundo da África do Sul

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Diego Armando Maradona se tornou um dos maiores nomes mundiais do futebol pelo que fez dentro do campo. Mas também se aventurou na carreira como técnico e, inclusive, comandava o Gimnasia y Esgrima até se afastar para ser operado do hematoma na cabeça, no início do mês. Ele morreu nesta quarta-feira (25), aos 60 anos.

A trajetória do ídolo como treinador começou em um dos seus piores momentos como jogador. Na Copa do Mundo de 1994, nos Estados Unidos, foi flagrado no exame antidoping e recebeu suspensão de 15 meses. A pena, porém, lhe permitia atuar no futebol de outra maneira.

Foi então que Dieguito foi convidado para assumir o Deportivo Mandiyú, time da primeira divisão nacional. Sua estreia aconteceu no dia 3 de outubro de 1994 e, como ainda não tinha licença como técnico, ficou da arquibancada. O time foi derrotado pelo Rosario Central por 2x1. Depois, conseguiu a permissão para ficar no banco de reservas.

Ao todo, Maradona comandou o Mandiyú por apenas dois meses. Após 12 jogos, com apenas uma vitória, seis empates e cinco derrotas, saiu brigado com o presidente Roberto Cruz e reclamando de falta de pagamento.

Em 1995, mais um convite para ser treinador, dessa vez do Racing. Liderou a equipe em duas vitórias, seis empates e três derrotas, enquanto se preparava para a volta aos gramados após a suspensão. Com o fim da punição, voltou ao seu amado Boca Juniors, como jogador.

A terceira experiência como técnico só aconteceu 13 anos depois, após se aposentar como atleta, e foi a mais memorável: a seleção da Argentina. Maradona assumiu o cargo em outubro de 2008, depois da saída de Alfio Basile. 

Apesar do furor pelo anúncio do ídolo como técnico, o início foi conturbado e, por pouco, a equipe não se classificava para a Copa do Mundo de 2010. Apesar da turbulência, os hermanos começaram bem a campanha na África do Sul, com uma fase de grupos convincente. Nos três jogos, três vitórias sobre Nigéria, por 1x0, Coreia do Sul, por 4x1, e Grécia, por 2x0.

A Argentina avançou em primeiro e enfrentou o México nas oitavas. Mais um triunfo, dessa vez por 3x1. Mas chegou a hora das quartas e o desempenho não foi animador: goleada de 4x0 da Alemanha. Logo depois, Maradona deixou o cargo.

Ele ainda teve trabalhos pouco expressivos como técnico no Al-Wasl e Fujairah, ambos dos Emirados Árabes, e no Dorados, do México, além do Gimnasia y Esgrima, onde estava desde o ano passado.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas