Marcelo Serrado canta de Frank Sinatra a Wando

entretenimento
12.08.2020, 06:00:00
Marcelo Serrado (divulgação)

Marcelo Serrado canta de Frank Sinatra a Wando

Ator estreia espetáculo sábado (15), no drive-in do Centro de Convenções

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O talento de Marcelo Serrado como ator já é conhecido e pode ser comprovado na reprise de Fina Estampa, que ocupa a faixa das 21h na Globo atualmente. Agora, é hora de conhecer as habilidades dele como cantor, no espetáculo Marcelo Serrado - Cantando de Frank a Wando, no Big Drive In Salvador (Centro de Convenções), neste sábado (15), às 20h. Ele, no entanto, avisa: “Não sou cantor, mas um ator que canta”. O espetáculo ainda não foi exibido em nenhuma outra cidade.

O repertório, bem diverso, tem canções românticas que marcaram a vida do artista e eram ouvidas pelos pais dele. Então, tem desde I'Ve Got You Under My Skin e Fly Me To The Moon, imortalizadas na voz de Frank Sinatra, até Fogo e Paixão, de Wando, e Garçom, de Reginaldo Rossi. Mas Marcelo não aprova o rótulo de música brega: “O brega está na forma como você o enxerga. Tem gente que acha o sertanejo brega, outros não acham. Não gosto de rótulo. Pra mim, música é música”. 

A apresentação é acompanhada de momentos de humor, quando Marcelo vai contar histórias divertidas sobre as músicas e seus compositores ou intérpretes.

Os primeiros contatos do ator com o canto foram quando começou a integrar espetáculos musicais, como A Noviça Rebelde e, anteriormente, Memórias de um Gigolô, em 2015. “Mas resolvi me aprimorar porque achei que não estava chegando onde queria. Eu tocava gaita, piano e comecei a no canto”, afirma. 

Para este espetáculo que será apresentado em Salvador, ele diz ter se baseado no trabalho que Daniel Boaventura tem realizado. “Não tenho o potencial da voz dele, mas 'chego a lugares' bem bacanas”. 

Passada a quarentena, Marcelo deve fazer outro musical, no estilo Broadway: O Jovem Frankenstein. “Há no Brasil hoje uma indústria muito forte de musicais. Em São Paulo, às vezes tem dez espetáculos em cartaz, com mais de 20 atores, 15 pessoas na orquestra, cem pessoas na produção... Imagina a quantidade de emprego que gera!”, entusiasma-se.

O mordomo Crô, de Fina Estampa, deu muita popularidade a Marcelo Serrado (divulgação)

Escolinha

Enquanto falava com o CORREIO, Marcelo se preparava para voltar ao estúdio e gravar a Escolinha do Professor Raimundo, cujo elenco ele passa a integrar na próxima temporada. Fará Ptolomeu, o sabichão que foi interpretada por Nizo Neto na primeira versão do programa e vinha sendo interpretado por Otaviano Costa.

Marcelo diz que está muito feliz com a boa audiência da reprise de Fina Estampa e a repercussão que seu personagem Crô, alcança: “Ele traz divertimento e é muito bom chegar em casa e ver no Instagram uma mensagem como ‘meu dia foi triste, mas vi Crô e me diverti”. Hoje, no drive-in do Shopping da Bahia, às 20h50, será exibido o segundo filme do personagem, Crô em Família.

Ele reconhece, no entanto, que algumas críticas à novela são válidas e devem ser consideradas. “Crô é mesmo meio caricatural, tem um estereótipo. Mas não faria sucesso se fosse só isso, se fosse só alegria. Trabalhei profundamente as camadas dele, que tem uma melancolia, uma dor...”.

Há também críticas à forma submissa como o empregado se relaciona com a patroa. “Mas a novela tem dez anos e Aguinaldo Silva [o autor] faria diferente hoje. Afinal, vivemos um outro momento”, afirma o ator.

Serviço

Big Drive-In Salvador (Centro de Convenções). Sábado (15), 20h. Ingresso: R$ 180 a R$ 220 (quatro pessoas por carro). Clube Correio: 40% de desconto.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas