Morre o jornalista Paulo Henrique Amorim

brasil
10.07.2019, 08:32:59
Atualizado: 10.07.2019, 09:04:23

Morre o jornalista Paulo Henrique Amorim

Ele sofreu enfarte fulminante

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Morreu na manhã desta quarta-feira (10) o jornalista Paulo Henrique Amorim. O jornalista tinha 77 anos e sofreu um enfarte no Rio de Janeiro.

Depois de anos na TV Globo, Amorim foi contratado da TV Record. Ele estava afastado desde o mês passado, quando foi afastado do programa Domingo Espetacular. O jornalista comandava havia 14 anos e tinha contrato na emissora até 2021.

De acordo com o Uol, o jornalista, que tinha atuação crítica online, teve a "cabeça pedida" várias vezes à Record desde 2014, quando a polarização política do país ficou mais evidente. A emissora resistiu por acreditar, embasada em pesquisa, que Amorim era uma peça fundamental para dar credibilidade ao seu semanário.

No início de março, o Uol já tinha informado que o repórter especial Eduardo Ribeiro tinha sido promovido para o Domingo Espetacular. Ele foi o primeiro jornalista a entrevistar Bolsonaro depois da eleição de outubro. 

Amorim morou em Nova York, onde foi correspondente internacional da revista Realidade e depois para a revista Veja. Na televisão, trabalhou na extinta TV Manchete e depois se mudou para a TV Globo, também como correspondente internacional em Nova York.

Em 1996, deixou a TV Globo e foi para a TV Bandeirantes. Depois, foi para a TV Cultura. Em 2003, foi contratado pela Record TV onde comandava o Domingo Espetacular, até ser afastado.

Paulo Henrique Amorim deixa uma filha e a mulher, a jornalista Géorgia Pinheiro.


***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas