Mostra Sonora Brasil reúne quatro grupos de coco no Pelourinho

variedades
25.07.2017, 18:28:00
Atualizado: 26.07.2017, 16:50:13

Mostra Sonora Brasil reúne quatro grupos de coco no Pelourinho

Quinta edição do evento começa nesta quarta (26) e vai passar por outras cinco cidades, além de Salvador



O coco é ritmo presente nas festas mais tradicionais do nordeste e darão o tom da quinta edição da mostra em 2017(Foto: Divulgação)

Entre os dias 26 e 29 de julho (quarta a sábado), sempre às 19h30, os amantes das tradições nordestinas poderão apreciar quatro shows que apresentarão as variações do coco no país. A iniciativa será realizada no Teatro Sesc-Senac Pelourinho e integra a 5ª edição da Mostra Sonora Brasil, que traz como tema Na Pisada dos Cocos. Além de Salvador, o projeto será realizado em Barreiras, Feira de Santana, Jequié, Paulo Afonso, Santo Antônio de Jesus e Vitória da Conquista.

O coco é uma das tradições nordestinas mais presentes na cultura, um dos ritmos mais executados nas festas juninas e se caracteriza pela levada de instrumentos de percussão como o ganzá, surdo, pandeiro triângulo. Repleto de influências indígenas e africanas, o coco também costuma ter o acompanhamento de palmas e sapateados. A tradição popular acredita que o ritmo nasceu da sonoridade que os cocos faziam depois de extraídos e quebrados. Embora alguns estudiosos defendam que o Coco nasceu em Pernambuco, próximo à divisa com Alagoas, os estados de Alagoas e Paraíba também reclamam a paternidade do ritmo.

Programação

No dia 26, se apresentará o Coco de Zambê. O grupo do litoral do Rio Grande do Norte se caracteriza pelo uso de tambores: um mais grave e outros feito com tronco de árvores. A música é puxada por um mestre e respondido por um coro de vozes. A dança é realizada numa roda e os músicos se mantém no centro. É praticado apenas por homens e lembra a capoeira e o frevo.

Na quinta, será vez do Concerto do Coco do Iguape, que traz uma dança mais pulada, com música com refrão fixo, apresentado pelo mestre e cantado pelos brincantes. A dança ocorre em pares, um de cada vez no meio da roda, com trocas constantes marcadas pelo convite feito com o gesto da umbigada.


A cada noite, um concerto realizado pelos grupos de diversos lugares do Nordeste. (Foto: Divulgação)

Sexta, dia 28, o Concerto será com o Coco de Tebei da comunidade Olho d’Água do Bruno, na cidade de Tacaratu, em Pernambuco. As irmãs Maria Araújo, Maria Feitosa, Antônia Germana, e Maria do Carmo  mantêm essa tradição familiar, quando o coco estava associado à construção de casas de taipa e as famílias se juntavam para levantar as residências. Esse coco é cantado por mulheres e dançado por casais.

No último dia, será a apresentação do Samba de Pareia da Mussuca, de Sergipe. Remanescentes de quilombolas, a dança é realizada pelas mulheres, os homens apenas tocam. A manifestação está associada a um ritual de nascimento, que vem dos antepassados, para comemorar a chegada de uma nova criança no seu décimo quinto dia de vida.

SERVIÇO

5ª Edição da Mostra Sonora Brasil

26 a 29 de julho

Teatro SESC-SENAC, Largo do Pelourinho, 19

Ingressos:  R$20/R$10

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas