Mulher escapa da morte por um triz enquanto ia a banco fazer prova de vida

brasil
16.10.2020, 16:40:29
Atualizado: 16.10.2020, 17:12:28
(Foto: Reprodução)

Mulher escapa da morte por um triz enquanto ia a banco fazer prova de vida

Beatriz quase foi atingida por uma Brasília amarela sem freio

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

A comerciante Beatriz da Rocha Almeida, de 55 anos, seguia tranquilamente seu caminho em direção ao banco onde iria fazer uma prova de vida. Só que, por ironia do destino, quase que o resultado do laudo mudaria enquanto ela seguia o trajeto.

Acontece que enquanto ela estava na calçada, ela escapou por alguns centímetros de ser atropelada por uma Brasília amarela desgovernada.

Tudo isso aconteceu na tarde desta quarta-feira (14), em Porto Feliz (SP). Ao G1, Beatriz contou que estava a caminho do banco para fazer prova de vida para a pensão devido à morte do marido, quando escutou o barulho e se deparou com a batida do carro no portão de um prédio à frente na avenida José Maurino.

“Foi um livramento. Naquele momento, não veio nada na cabeça. Pouco antes [do acidente] eu me lembrei de outro acidente, naquele mesmo lugar, quando eu caí de um carro há 10 anos. Eu estava no carro de um ex-namorado e a porta do carro abriu. Caí no asfalto e me machuquei toda", lembra.

Um vídeo registrou o momento em que a pedestre estava caminhando quando o carro aparentemente sem freio desceu pela avenida e quase a atingiu. O motorista conseguiu desviar de outro veículo e da mulher.

"Por ironia do destino, eu estava indo ao banco para fazer prova de vida do benefício que eu recebo de pensão por morte."

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas