Mulheres do Vale do São Francisco criam experiência inovadora e sustentável

empregos
14.06.2021, 06:00:00
A Casa das Arretadas nasceu como um espaço colaborativo, inovador para reunir as mulheres do Vale do S. Francisco (Divulgação)

Mulheres do Vale do São Francisco criam experiência inovadora e sustentável

Espaço colaborativo cria emprego e recupera perdas econômicas provocadas pela pandemia

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

A pandemia gerou inúmeras dificuldades para uma parcela significativa dos microempreendedores individuais, especialmente, aqueles que possuíam lojas físicas e estavam acostumados com o contato pessoal das vendas. Uma experiência surgida no Vale do São Francisco, no extremo norte do Estado, vem mostrando que a união não apenas faz a força, mas promove a geração de emprego e renda, movimenta a economia e é capaz ajudar as mulheres empreendedoras a recuperarem as perdas com as medidas sanitárias em vigor desde o ano passado.

Com o sugestivo nome de Casa das Arretadas, o espaço foi pensado para ser inovador em tudo, desde a perspectiva de tornar toda a área sustentável, com energia solar, coleta seletiva e faz reaproveitamento de materiais. Aliado a isso, o grupo aposta não apenas na economia criativa, afinal é uma loja colaborativa, que aposta no consumo consciente, produção limpa e responsabilidade social, tendo 1,5% das mensalidades revertidas para eventos de capacitação, network e promoção de vendas.

De acordo com a idealizadora da proposta, a empreendedora Luana Trindade, o espaço surge como uma das muitas lições trazidas com a pandemia. “Nessa desafiadora jornada do empreender tem muita força o trabalho do coletivo, que possibilita a combinação de estratégias, de atitudes e comportamentos, então, nós nos adaptamos ao novo...os novos tempos, às novas medidas de segurança e aos novos hábitos dos consumidores”, afirma.

Setor Estratégico

Ela destaca que as grandes economias mundiais vêm incentivando, investindo e capacitando o capital humano e, por consequência, a economia criativa é considerada um setor estratégico e a partir dela, diversos mercados buscam soluções inovadoras para seus segmentos, além de oferecer novas ideias para o desenvolvimento urbano. “Queremos lançar essa perspectiva sobre a economia dos negócios liderados por mulheres no Vale do São Francisco”, defende.

Como a sabedoria popular prega que o seguro morreu de velho, as empreendedoras não se satisfizeram apenas com um espaço físico colaborativo, mas também implementaram o site o www.empreendedorasdovale.com.br, estão finalizando a loja online da Casa das Arretadas e o aplicativo, onde serão comercializados os produtos das inquilinas da loja. “Hoje temos o Instagram das empreendedoras do Vale oficial com 13,5 mil seguidores, e também criamos o Instagram da Casa das Arretadas(@casadasarretadas) por entendemos que é necessário investir na experiência do cliente tanto no ambiente físico, como no digital”, pontua Luana.

Mônica Caribé,51, foi uma das primeiras arretadas a apostarem na proposta de unir forças. Após ver o sonho de ter uma marca de roupa casual morrer, ela encontrou no Clube Empreendedoras do Vale o apoio e energia que precisava para não perder a esperança e refazer os planos. “A notícia do projeto foi como uma salvação. Em um momento tão difícil e solitário, me vi em um grupo que me fortaleceu, acolheu e que compartilha dos mesmos problemas. Me senti em casa e muito esperançosa”, desabafou a empreendedora.

Luana Trindade e Mônica Caribé(de chapéu) descobriram como a união feminina é capaz de oferecer o suporte e a estrutura para recomeçar depois dos desafio de 2020 (Foto: Divulgação)

Ela destaca a alegria de, finalmente, ter um espaço físico para expor sua marca. “Na atual situação nunca ia conseguir sozinha custear uma loja e agora, com a venda de uma única peça de roupa, consigo pagar uma excelente estrutura”, comemorou.

“A nossa expectativa é que tendo o espaço físico, vamos fortalecer ainda mais a nossa comunidade e promover eventos que envolvam capacitação e profissionalização dos negócios, alcançando assim o impacto econômico e social no Vale do São Francisco que tanto desejamos”, conclui, Luana.
 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas