Museu britânico remove estátua de Michael Jackson após denúncias

variedades
07.03.2019, 13:39:00
Atualizado: 07.03.2019, 16:45:57
(Foto: divulgação)

Museu britânico remove estátua de Michael Jackson após denúncias

Documentário denuncia possíveis abusos sexuais infantis realizados por Michael

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Desde a exibição do documentário Leaving Netherlands na TV americana, a imagem e todo o legado do rei do pop têm sido questionados. Em meio a tantas polêmicas, o Museu Nacional do Futebol, em Manchester, na Inglaterra, resolveu remover uma estátua que homenageava Michael Jackson. Feito de gesso e resina, o monumento integrava o acervo do museu desde 2014 e foi retirado nesta semana após os escândalos ganharem força.

Em comunicado à BBC, o museu informou que a atitude foi fruto de "uma série de mudanças em suas exposições e nos objetos expostos nos últimos meses". A instuitção informou ainda por meio de um porta-voz que a medida é "parte de nossos planos para representar melhor as histórias que queremos contar, tomamos a decisão de remover a estátua de Michael Jackson da exibição", finaliza o comunicado.

Entenda o caso
Na produção cinematográfica, Wade Robson e James Safechuck  acusam Michael Jackson de abusar sexualmente deles quando crianças. Os homens resolveram expor os supostos abusos em um documentário de aproximadamente 4 horas de duração e que foi exibido na rede norte-americana HBO em 3 e 4 de março e no britânico Channel 4 em 6 e 7 de março.

A exibição fez a família do artista entrar com uma ação na Justiça sob o argumento que a produção exibida pelo canal viola um acordo de 1992, o qual garante que o canal a cabo não depreciaria mais a imagem do cantor. "Michael Jackson é inocente. Ponto final", disse o espólio na ação civil. Os familiares ainda negam as acusações e afirmam que o documentário só está produzindo um "linchamento público" à imagem de Michael.

A HBO contrargumenta afirmando que exibirá o programa como forma de  dar "a todos a oportunidade de avaliar o filme e as alegações nele por si mesmos".


***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas