Não foi seu veículo usado que valorizou; os preços é que subiram

brasil
06.08.2022, 07:01:00
Em menos de três anos os carros zero-quilômetro tiveram aumentos que superam 70% (Foto: Divulgação)

Não foi seu veículo usado que valorizou; os preços é que subiram

Entenda porque os preços mudaram e siga algumas dicas para conservar seu automóvel

A pandemia gerou uma crise de componentes eletrônicos e alguns insumos para a montagem de carros novos. Como o mercado sofreu com a falta de peças, muitos veículos deixaram de ser produzidos e em meados do ano passado houve uma escassez de alguns modelos. O Chevrolet Onix, até então o líder de emplacamentos no país, ficou meses sem ser fabricado.

Isso gerou uma rápida reação do segmento de usados. Com preços subindo rapidamente e o modelos sendo negociados acima da tabela Fipe - uma das referências para o mercado. Esse rápido boom passou e muitos consumidores continuam imaginando que seu automóvel seminovo valorizou.

Mas a realidade é outra. O veículo subiu e, em alguns casos, vale mais hoje do que quando você comprou. No entanto, adquirir um zero-quilômetro ficou muito mais caro. Então, só quando o consumidor vai até uma concessionária fazer uma avaliação do seu usado e negociar a compra de um novo é que a realidade aparece.

Um exemplo: a versão mais barata do Hyundai HB20, carro de passeio mais emplacado este ano, custava R$ 46.490 em setembro de 2019, quando foi lançada a linha 2020. Seminovo, ele custa hoje R$ 59.658. No entanto, o zero-quilômetro é oferecido por R$ 76.690, 70% mais caro do que há três anos. Ou seja, o seminovo está mais caro, mas o novo subiu ainda mais.

Para completar, a inflação e outros fatores também reduziram o poder de compra do brasileiro. Atualmente, a proporção é que a cada dez fichas de solicitação de financiamento automotivo, menos de seis são aprovadas.

A valorização ou, como prefiro dizer, a atualização do preço dos veículos usados causou efeitos colaterais: Ipva e seguro mais caros. O imposto é calculado sobre o preço de mercado do veículo, quanto mais alto, maior será o custo. A mesma coisa acontece com o seguro, se o valor do bem sobe, maior será o custo.

Conservando o usado

Se você avaliou seu automóvel e viu que ele terá que passar mais tempo na sua garagem, é hora de dar aquela revisada completa para prolongar a vida útil e ficar seguro a bordo.

Algumas ações simples podem melhor o estado de conservação do veículo:

- Avalie os pneus, se estiverem danificados ou com a banda danificada, programe a troca ou faça um rodízio;

- Faça uma revisão elétrica, verifique se a bateria está funcionando corretamente e entenda quanto tempo de vida útil ela tem;

 - Confira os fluídos como o óleo do motor, de freio e ainda o líquido de arrefecimento;

- Troque as palhetas do limpador e garanta uma direção mais segura em dias de chuva.

***

Em tempos de desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informações nas quais você pode confiar. E para isso precisamos de uma equipe de colaboradores e jornalistas apurando os fatos e se dedicando a entregar conteúdo de qualidade e feito na Bahia. Já pensou que você além de se manter informado com conteúdo confiável, ainda pode apoiar o que é produzido pelo jornalismo profissional baiano? E melhor, custa muito pouco. Assine o jornal.


Relacionadas