Ônibus pula quebra-molas, passageira fratura a coluna e morre na Bahia

bahia
28.06.2018, 17:46:00
Atualizado: 28.06.2018, 17:50:03

Ônibus pula quebra-molas, passageira fratura a coluna e morre na Bahia

Mulher de 49 anos estava internada desde o dia 13 e teve infecção generalizada

Cidinalva deixa dois filhos e cinco netos (Foto: Reprodução/Blog do Anderson)

Cidinalva Gusmão da Silva, 49 anos, morreu de infecção generalizada em Vitória da Conquista, no Sudoeste baiano, após ser internada no Hospital Geral da cidade por ter fraturado a coluna num acidente dentro de um ônibus de transporte coletivo.

O acidente ocorreu dia 13 de junho, no trecho urbano da BR-116, quando o ônibus da Viação Vitória seguia do Centro para o bairro Vila Bonita e não reduziu a velocidade para passar num quebra-molas, fazendo com que alguns passageiros fossem jogados para o alto.

Cidinalva estava sentada nos fundos do ônibus e acabou sendo arremessada ao chão. No choque, acabou quebrando a coluna. Ela recebeu atendimento emergencial, foi liberada e depois voltou ao internamento, onde ficou por 13 dias.

Casada, mãe de dois filhos e avó de cinco netos, a mulher morreu nessa terça-feira (26) de falência múltipla dos órgãos por conta da infecção.

O caso deixou a família de Cidinalva revoltada. Os parentes dizem que vão tomar providências na Justiça.

“Estamos nos recompondo ainda da morte dela, mas vamos procurar nossos direitos. Ela foi internada depois desse acidente. Queremos que alguém seja responsabilizado por esse fato”, disse ao CORREIO uma prima de Cidinalva, que prefere não ter o nome divulgado.

Procurada, a assessoria de comunicação do Hospital Geral de Vitória da Conquista, que é de gestão estadual, não deu resposta.

A Viação Vitória, por sua vez, diz que “continuará a prestar todo o apoio necessário à família neste triste momento”.

“O acidente ocorrido dentro de um ônibus da nossa empresa foi uma fatalidade e as causas estão sendo apuradas, com a ajuda das imagens do vídeo monitoramento e depoimentos do motorista e cobrador”, diz a nota.

A empresa informou que “está à disposição para prestar todos os esclarecimentos às autoridades e continuará dando toda a assistência necessária, ocasião em que manifestamos toda nossa solidariedade e reiterando nossos votos de pesar.”

A delegada Jaqueline Ferreira, titular da 2ª Delegacia Territorial, informou que o fato foi registrado na polícia no dia do acidente, mas que, “a princípio, não há o que investigar no caso da morte de Cidinalva”.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas