Página de pornografia infantil com mais de 172 mil seguidores é retirada do ar no Ceará

brasil
01.04.2020, 09:32:00

Página de pornografia infantil com mais de 172 mil seguidores é retirada do ar no Ceará

Local também pologia a crimes como estupro e violência contra idosos e mulheres

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Uma página na rede social Facebook foi retirada do ar pela Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE) neste domingo, 29. A página tinha mais de 172 mil seguidores e compartilhava material de conteúdo pornográfico infantil além de conteúdos que faziam apologia a crimes como estupro e violência contra idosos e mulheres. Os responsáveis pela página estão investigados, bem como os adeptos da página. Uma investigação também foi instaurada para averiguar a origem do material.

A ação da polícia ocorreu após o secretário da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), André Costa, receber informações sobre a página por meio de suas redes sociais pessoais. Após a denúncia, em menos de 24 horas a página foi removida do ar, assim como todo seu conteúdo. “Esse é um trabalho importante, cuja atribuição muitas vezes é da Polícia Federal, mas nunca deixaremos de agir contra um crime tão grave desse. Um crime que atenta não só contra a proteção da criança e do adolescente, mas contra toda a nossa sociedade’, completou o secretário.

André Costa elogiou o trabalho da PCCE, do Departamento de Inteligência Policial (DIP) e da Delegacia de Combate à Exploração da Criança na ação. Ele afirmou que a rapidez do trabalho policial é fundamental para combater esse e demais tipos de crime. O secretário incentivou a população e denunciar, por meio dos telefones oficiais das delegacias, dos disque denúncias ou ainda pelas redes sociais.

Esta foi a segunda ação da PCCE contra pedofilia nas redes sociais no Ceará em menos de 15 dias. A primeira ação ocorreu no dia 22, quando a polícia também retirou do ar outra página que estava divulgando conteúdo pornográfico infantil, dessa vez no Instagram. 

O conteúdo criminoso consistia em dezenas de fotos de crianças e adolescentes sendo abusados sexualmente ou expostos a situações de exploração sexual. A polícia tomou conhecimento do perfil após usuários da rede social denunciarem as postagem ao perfil oficial da PCCE, também no instagram. Uma investigação para apurar os responsáveis pela página e pelo conteúdo divulgado também foi instaurada e segue em andamento.

O ato de divulgar esse tipo de conteúdo já é classificado como crime, com pena prevista de três a seis anos de reclusão e multa. De acordo com o Art. 241 do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA): “É crime oferecer, trocar, disponibilizar, transmitir, distribuir, publicar ou divulgar por qualquer meio, inclusive por meio de sistema de informática ou telemático, fotografia, vídeo ou outro registro que contenha cena de sexo explícito ou pornográfica envolvendo criança ou adolescente”.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas