Pega Pega: nova novela das sete estreia terça com romance, humor e suspense

TV
04.06.2017, 06:10:00

Pega Pega: nova novela das sete estreia terça com romance, humor e suspense

Corrupção, poder e outros temas sérios que são tratados com romance e humor na novela Pega Pega, que estreia terça (6/6)

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Qual é o limite humano na busca por dinheiro? Até que ponto vale a pena perseguir o poder? Mais atual do que nunca, por conta do momento político do Brasil, a discussão é levantada pela nova novela das sete, Pega Pega, que estreia terça-feira, na Globo/TV Bahia. Um assalto milionário é o que dá o pontapé na trama protagonizada pelo ator brasiliense Mateus Solano e dirigida por Luiz Henrique Rios.

Tudo se passa no Carioca Palace Hotel, espaço por onde passa boa parte dos personagens e que de repente tem 40 milhões de dólares roubados do seu cofre. O assalto histórico vai impactar na vida de todos que frequentam o lugar, principalmente do jovem empresário Eric Ribeiro (Mateus Solano), bom moço que terá seu amor pela herdeira do hotel, Luiza Guimarães (Camila Queiroz), posto à prova.

Camila Queiroz é a herdeira do Carioca Palace Hotel que se apaixona pelo empresário interpretado por Mateus Solano (Foto: Mauricio Fidalgo/TV Globo)

Apontado injustamente como suspeito, Eric acaba preso pelo assalto que, na verdade, foi provocado por quatro funcionários do Carioca Palace: o concierge Malagueta (Marcelo Serrado), a camareira Sandra Helena (Nanda Costa), o garçom Julio (Thiago Martins) e o recepcionista Agnaldo (João Baldasserini). Pessoas trabalhadoras e comuns, os quatro nunca pensaram em roubar, mas acabam aderindo ao golpe e o motivo de cada um será revelado ao longo da trama.

Primeira novela autoral de Claudia Souto (Casseta & Planeta, Urgente!, Sai de Baixo e TV Colosso), Pega Pega é uma comédia romântica policial ambientada no Rio de Janeiro. Ou seja, romance, suspense e até humor andam juntos, já que a novela dá espaço ao improvável: um dos bandidos vai se apaixonar pela inspetora de polícia Antônia (Vanessa Giácomo), que assume o caso.

“Essa história pode ser uma tragédia absurda como pode ser uma comédia sem fim, uma vez que não há nada mais incoerente do que o bandido que se apaixona pela policial”, diz o diretor Luiz Henrique Rios, conhecido por novelas como Quatro por Quatro, Passione e Totalmente Demais. “Essa novela é uma comédia romântica com traços policialescos. As três temáticas caminham juntas”, completa.

Diante da mistura, Mateus Solano garante que o clima de Pega Pega é de “um bom filme de Sessão da Tarde, de um Pretty Woman”, compara. Para o ator de 36 anos, marcado por personagens como o querido Félix e o icônico Zé Bonitinho, o humor está a favor de uma história que ele acredita que vai pegar o espectador, “porque desde pequeno a gente brinca de polícia e ladrão”.

A autora destaca que a novela reflete o que acontece com todos nós: “podemos ser ridículos numa situação e trágicos em outra. Isso é humano”. Além disso, o trânsito intencional por diferentes gêneros permite abordar temas difíceis com leveza, segundo ela. “Pelo fato de minha origem na tevê ser de humorista, estou num lugar confortável. O humor permite tocar nas feridas da sociedade, encontrando o que há de risível, sem deixar de fazer a crítica”, compara.

O roubo milionário foi feito por funcionários do hotel: o recepcionista (João Baldasserini), a camareira (Nanda Costa), o garçom (Thiago Martins) e o concierge (Marcelo Serrado) (Paulo Belote/TV Globo)

Riqueza?
Corrupção, disputa de poder e outros temas costuram a novela Pega Pega que, para Mateus Solano, traz discussões importantes para a humanidade. “A gente vai ter a oportunidade de ver os dois lados e ver o que leva uma pessoa de bem a cogitar roubar. São discussões válidas em um mundo onde todo mundo é corrompido, onde a gente acorda e começa a se corromper já no ‘bom dia’”, reflete.

O roubo vai colocar a vida do seu personagem em xeque, mas não será o único momento forte na vida do empresário. Antes de se apaixonar por Luiza, Eric se vê perdido quando sua mulher morre em um acidente de carro. Viúvo e tendo que criar sozinho a filha Bebeth (Valentina Herszage), o empresário mergulha profundamente na rotina do trabalho e isso acaba afetando a relação entre pai e filha.

Cada vez mais poderoso, Eric vai enfrentar problemas com Bebeth que não quer saber de dinheiro e, sim, de carinho e atenção. “Bebeth é uma menina rica que quer fugir de toda essa riqueza, porque a riqueza que ela está buscando é de outra ordem, uma riqueza na relação com o pai”, explica o ator.

Solano então pontua que o “dinheiro pelo dinheiro” e o “poder pelo poder” só fazem corromper o ser humano que existe dentro de cada um. “Acho essa questão importantíssima no mundo capitalista, onde a gente sempre quer comprar mais, o que no fundo não traz metade da felicidade que é a construção de um amor verdadeiro entre um pai e uma filha”, completa.

Questionado sobre o que faria se ganhasse R$ 40 milhões, valor roubado no Carioca Palace, Solano disse que compraria um centro cultural porque “sem cultura a gente é como formiga, como qualquer outro animal, não tem identidade como pessoa, como país”, destaca.

“Acho que a gente vai perdendo isso justamente para esse lugar que o Eric ocupa. Por isso compraria um centro cultural onde tivesse teatro, circo, incentivo à leitura... Enfim, tudo isso que lamentavelmente vem sendo colocado em segundo plano e que, na minha opinião, é o que nos define como seres humanos”, finaliza.

Marcos Caruso interpreta o playboy Pedrinho Guimarães, dono do Carioca Palace Hotel
(João Miguel Junior/TV Globo)


***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas
  • Assinaturas: 71 3480-9140
  • Anuncie: 71 3203-1812
  • Ache Aqui Classificados: 71 3480-9130
  • Redação: 71 3203-1048