Poxa, por que estragou? Entenda o que está acontecendo com o seu calçado guardado

coronavírus
11.04.2021, 11:00:00
(Foto: Shutterstock)

Poxa, por que estragou? Entenda o que está acontecendo com o seu calçado guardado

Confira 10 dicas que podem ajudar a conservar as peças por mais tempo

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Se um sapato quase novo, que mal foi usado, já apresentou algum tipo de desgaste mesmo guardado há pouco mais de 1 ano – e alguém está confuso sobre como isso é possível – pode deixar que a Física explica o que aconteceu. 

A culpa pode ser da forma de armazenamento ou da natureza do material do calçado, mas, acredite: a justificativa para tomar um susto ao ver o seu tênis preferido descascando assim, do nada, também está na segunda lei da termodinâmica e no dano espontâneo causado pela entropia, como explica o professor da disciplina, no Colégio Antônio Vieira, Alexnaldo Meneses. 

“Usando o exemplo de um calçado, naturalmente, ele tem a tendência de envelhecer e isso traz uma série de consequências físicas para a estrutura dele: o ressecamento, a perda do brilho e você precisa ir combatendo a entropia nele, ou seja, colocar em um ambiente que tenha temperatura e umidade adequadas”.

O fenômeno de modificação das propriedades, estabelecido no século XIX por Boltzmann e aprimorado por Gibbs, afeta todos os sistemas físicos, químicos e biológicos quando, ao passar do tempo, as coisas são deixadas por si mesmas sem qualquer intervenção para combater sua degradação.

“Ou seja, tudo isso vai degenerando a superfície do calçado e, mais profundamente, sua estrutura mais interna”, completa o professor.  

A entropia é implacável, mas dá para postergar toda essa desorganização do sistema físico do seu sapato e conseguir até deixá-lo com um aspecto de novo. Listamos 10 dicas para preservar calçados de vários materiais diferentes e evitar, ao máximo, o processo de degradação, pelo menos, até que eles possam sair do armário de novo e circular livremente por aí, sem uma pandemia no encalço. Confira.

***

1. Qual o calçado mais resistente? 
Observar quais as recomendações do fabricante sobre os cuidados com a peça é a recomendação da proprietária da loja de calçados que leva o seu nome e especialista em sapatos, Daniele Magalhães (@lojadanielemagalhaes). A loja localizada na Pituba e que está há 15 anos no mercado tem, ao todo, armazenados em seu estoque mais de 500 pares. Sobre qual o sapato mais resistente e durável, Daniele destaca os que são feitos de couro legítimo e costurados à mão. “O sapato com maior durabilidade é o 100% couro natural. Quando ele tem cola, ao longo do tempo, há o descolamento, apesar de ser um problema até fácil de resolver. Porém, se ele é feito e costurado à mão, com certeza, vai durar muito mais”, complementa. 

2. Cuidado com o mofo 
Esse aí é um grande inimigo de qualquer peça guardada por muito tempo, como pontua a personal organizer, Ivea Ferreira (@iveaorganiza). “Por incrível que pareça, usar o calçado ajuda a mantê-lo em bom estado. Normalmente, os calçados ficam em espaços de pouca circulação de ar. Tire as peças  do armário e coloque-as na sombra”. 

3. Limpeza periódica 
Mesmo que não sejam usados, não dá para deixar os sapatos abandonados. A personal organizer na plataforma Get Ninjas, Poliana Santana (@polianasantanaorganizer) reforça a necessidade de reservar um tempo a cada 15 dias para uma faxina. “A falta de uma limpeza geral colabora bastante para a velocidade do desgaste”. 

4. Na hora de guardá-los
Aqui vai mais uma dica: não guarde os calçados em caixas, principalmente, as de papelão. “Por mais que fique a sensação de que os calçados estão organizados, na verdade, as caixas acabam impedindo a circulação de ar e comprometendo a conservação da peça”, completa Poliana. 

5. Calçados de couro
Seja sintético ou original, a engenheira química e professora da Unijorge, Elisabeth Couto (@unijorge_oficial) destaca que o couro é um material sensível às mudanças de temperatura e umidade. “Os detergentes, desinfetantes devem ser evitados pois degradam o material. Prefira limpar com pano seco para remoção de poeira e uma solução específica para couro”. Ivea Ferreira acrescenta algumas dicas para conservar calçados como botas: “O couro é moldável. Se ele fica muito tempo parado pode craquelar e criar um novo formato. Guarde a peça sem dobrar o cano. Vale usar um “macarrão” de piscina para impedir esse problema. Basta cortar e colocar na bota”. 

6. Tênis, melflex e PVC 
Para esses três tipos, a recomendação de Ivea Ferreira é a mesma: “Água e detergente neutro, inclusive em calçados como as da marca Melissa. Para uma limpeza mais profunda no solado do tênis, use pasta de dente branca, deixe agir por 10 minutos e depois passe uma escova de limpeza”, ensina. 

7. Camurça e Nobuck
Elisabeth Couto é quem dá o conselho para os calçados nesse material: “Uma forma bem prática e adequada para limpeza de camurça e nobuck é fazer a escovação periódica na mesma direção sempre”. 

8. Calçados mais sensíveis 
O aviso é para os calçados envernizados, afirma Poliana Santana. “É uma categoria de material que já é mais suscetível a arranhões. Limpe com pano pouco úmido, aguarde secar e, em seguida, passe um pouco de óleo com algodão”, diz. 

9. A parte de dentro também conta
Sim, higienizar a parte interna do sapato também ajuda na sua conservação. De uma forma geral, Ivea Ferreira aconselha utilizar uma escova com água e sabão, ou desinfetante, ou ainda o álcool 70°. “Deixe arejar de um dia para o outro antes de guardar. Ainda na parte interna, após o uso, coloque bicarbonato de sódio para tirar possíveis odores”. 

10. Tem dicas para bolsas também 
Fique atento: “Para bolsas coloridas, é recomendado utilizar um pano úmido branco com detergente neutro para não manchar. Se a bolsa for branca, utilize uma esponjinha, esfregando sempre com cuidado. Peças de camurça ou couro, utilize um spray impermeabilizante para conservá-las. Na bolsa de couro, uma alternativa para hidratá-la é usar óleo de amêndoas”, sugere Poliana Santana.

***

HIGIENIZAÇÃO NA PANDEMIA

Cuidados  A regra é simples, como esclarece a professora do Instituto de Saúde Coletiva da Universidade Federal da Bahia (Ufba) e pesquisadora da Rede CoVida, Ana Cristina Souto: “Sapato de dentro de casa é para nunca sair e o sapato que é para rua, nunca entrar em casa. Para calçados de couro, que não podem ser lavados com água e sabão, é importante deixar a peça isolada por um período de três dias”, orienta a especialista.

***

ALGUNS PRODUTOS PARA COURO

Hidratantes Entre os produtos disponíveis no mercado estão o Muss Plus Polidor para Sapato Bonton (R$ 39,90), Revitalizador de Couro Refresh 3M (R$47,07),  Centralsul Quimica Hidratante Para Couro Aerossol  (R$ 35,37), Pomada Profissional Pra Revitalizar Couro Hidrata Couro (R$ 26) e Limpador Multiuso Em Gel Para Couro Malbork (R$45,49) 

 *Valores pesquisados em sites na internet no dia 08/04 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas