Quem nasceu primeiro, o meme ou o ovo? Confeiteiro de Ilhéus aposta na febre dos florkys para dobrar as vendas

entre
02.04.2022, 16:00:00
Versão meme de ovo de Páscoa deve gerar lucro de R$ 40 mil para confeitaria no sul da Bahia (Foto: Divulgação)

Quem nasceu primeiro, o meme ou o ovo? Confeiteiro de Ilhéus aposta na febre dos florkys para dobrar as vendas

Com 60% do estoque da versão meme do ovo vendido, o faturamento da Manoel Franklin Confeitaria deve alcançar um ganho de R$ 40 mil até a Páscoa

Cheio de gracinha e trazendo ‘verdades’. Muito provavelmente você já se divertiu com o florky, aquele boneco palito que parece um fantoche de meia e arrasta milhões de curtidas pelas redes sociais. E se o meme virasse ovo de chocolate ou o ovo de chocolate virasse meme? Não necessariamente nessa mesma ordem, a gente vai pedir licença agora ao coelhinho da Páscoa - essa figura fofa, eu sei - para contar como o bom humor e o sarcasmo do florky está fazendo o confeiteiro Manoel Franklin (@chef.manoelfranklin) mais que dobrar o sua produção e o faturamento na data. 

A versão meme do ovo  já tem 60% do estoque vendido e deve chegar a um ganho de R$ 40 mil, até a última encomenda de Páscoa. “Os florkys também conquistaram o mundo da confeitaria. Por conta da ideia de exclusividade que ele carrega e das frases que o cliente pode escolher a que mais se identifica, colocá-los no ovo de Páscoa tornou o produto muito engraçado e divertido esteticamente”, afirma. 

Não por acaso, a figurinha chegou no mundo da confeitaria com o bentô cake, um bolo pequeno criado na Coreia do Sul que vem dentro de uma marmita e se espalhou muito em redes sociais como o TikTok.  “Eu mesmo uso esses bonequinhos no Whatsapp e a partir daí pensei em trazer para a minha campanha. Viralizá-los também nos ovos de chocolate, sem dúvida, se tornou uma grande sacada para os confeiteiros”, ressalta. 

Boom nas redes
Em 2021, Manoel vendeu R$ 20 mil trabalhando com apenas uma ajudante. E se cada curtida agora valesse um ovo de Páscoa vendido, seria mesmo um sonho. A presença do personagem deu tanto certo que as postagens no perfil do confeiteiro no Instagram, em apenas 24 horas, chegaram a 3 mil salvamentos, 38 mil curtidas e 39 mil compartilhamentos. 

“O sucesso nas redes me surpreendeu e minha marca vem chegando a um patamar que nunca imaginei. Fiz um teste com as primeiras postagens do bentô ovo e alcancei um engajamento absurdo. Eu dei um ‘boom’ de 8 mil seguidores para 15 mil em um espaço de tempo curtíssimo”. 

Já são 300 unidades encomendadas, 50% a mais que a produção do ano passado. Os preços variam de R$ 10 a R$ 150. Entre as versões mais vendidas está a que vai com a frase ‘Aguentei mais um ano no Brasil!’. “Também chegam muitos pedidos com frases inusitadas e de duplo sentido. No recheio, a preferência é pelos sabores cappuccino com cookie, o chocolate ao leite com cupuaçu e lascas de damasco, além do brigadeiro cremoso”, afirma. 

Claro que o chocolate vai ter sempre o lugar no coração de quem ama e que os florkys podem despertar a melhor gargalhada, mas Manoel tem aí outro ingrediente que fez a diferença:  “Hoje para vender bem não basta apenas um bom produto, tem que criar uma história por trás dele e se conectar com o cliente”.  

A produção de ovos de chocolate para a Páscoa cresceu 50%
(Foto: Divulgação)

O volume das encomendas cresceu e a estrutura para dar conta de todas as entregas, também. Manoel montou uma linha de produção com quatro ajudantes de cozinha, duas pessoas para atendimento e suporte ao cliente, uma pessoa no financeiro, videomaker, fotógrafo de alimentos e um gestor de tráfego em redes sociais. 

“Meti a cara e fui estudar estratégias de vendas como gatilhos mentais. Elaborei um planejamento bem estruturado, levando em consideração conceitos como food porn (comida glamurizada), vídeos com apelo emocional. Nossos principais clientes são pessoas físicas e empresas. Estamos expandindo muito mais”. 

Meme com açúcar 
Nascido e criado em Ilhéus, no litoral sul do estado, a relação de Manoel com o chocolate foi o que o transformou em confeiteiro. “Ter o privilégio de morar em uma cidade que exporta cacau e chocolate para todo o mundo é muito bom. Tenho acesso a conhecimentos e estudos sobre amêndoas do cacau entre outros métodos que agregam muito para mim e a marca, com acesso direto e mais fácil a fornecedores de chocolate e seus derivados”. 

Mas foi a avó Vitória a primeira pessoa a acreditar no talento de Manoel, quando deu R$ 20 para ele comprar os materiais logo que, aos 12 anos, decidiu vender brigadeiro na escola.

“Eu estava na 6ª série e peguei pela primeira vez em uma panela para fazer doce. Fui criado pela minha avó Vitória e minha bisavó Luzia. Venho de uma família bastante humilde. Sempre via minhas avós na cozinha preparando pratos incríveis e, provavelmente por isso, me identifiquei tanto com a gastronomia também”, conta. 

De lá para cá,  Manoel foi conquistando tudo que podia com os recursos que tinha. “Venho de uma comunidade onde vi crianças que cresceram comigo se perderem nas drogas e morrerem por conta disso. Minhas avós são minha maior motivação. Sempre corri atrás dos meus sonhos, independente das circunstâncias. Usei os artifícios que tinha como cursos, livros e vídeos do Youtube pelo celular, e assim fui construindo meu conhecimento. Busquei trabalhar também nos melhores restaurantes da minha cidade e aprender o máximo de coisas que eu pudesse”. 

E quando a Páscoa passar, o confeiteiro vai ter aí uma boa reserva para expandir o seu cardápio. A ideia é ampliar o serviço de personal chef, com a oferta de jantares elaborados e sofisticados, além de manter as encomendas de bolos e doces.

“Passei por inúmeros desafios para chegar até aqui. Quedas, tropeços, noites sem dormir. É uma jornada árdua, mas que é super gratificante ver os frutos que colhemos. Sem o cliente, o negócio não existe. É construir seu caminho com humildade, fé e resiliência. Tudo tende a dar certo”, completa.


SOBRE OS FLORKYS  

O Flork é uma série de quadrinhos online desenhado pelo MS-Paint. A webcomic Flork of Cows estreou no Wordpress em 2012, migrando anos depois para o Facebook e Reddit onde o primeiro quadrinho com bonecos palitos de fantoches de meia foram postados pela primeira vez, se tornando virais.   
 


A RECEITA DE MANOEL

. Para divulgar sua marca e produto
Invista em fotos e vídeos que mostrem a suculência e beleza do produto para despertar o desejo de consumo do cliente.   

. Use gatilhos mentais  e o funil de vendas como estratégia
Assim, você consegue direcionar o seu conteúdo nas redes sociais para convertê-lo em vendas.  

. Constância e presença
São fundamentais nas redes sociais para se manter em evidência e criar um publico engajado com a sua marca.  

. Tráfego pago
É mais um investimento que vale a pena, pois ajuda muito a ter um maior alcance nas redes sociais e a encontrar o seu público, já que é possível escolher quem você  quer que  interaja com sua marca, a idade, poder aquisitivo e mais uma série de ferramentas para disseminar sua marca no meio digital.


QUEM É

Manoel Franklin Aos 22 anos, é confeiteiro e chef autodidata, criador da marca Manoel Franklin Confeitaria. 

***

Em tempos de desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informações nas quais você pode confiar. E para isso precisamos de uma equipe de colaboradores e jornalistas apurando os fatos e se dedicando a entregar conteúdo de qualidade e feito na Bahia. Já pensou que você além de se manter informado com conteúdo confiável, ainda pode apoiar o que é produzido pelo jornalismo profissional baiano? E melhor, custa muito pouco. Assine o jornal.


Relacionadas