Refinaria da Petrobras no Ceará foi vendida por 55% do seu valor, diz estudo

economia
26.05.2022, 20:18:08
Refinaria é localizada próximo ao Porto do Mucuripe, em Fortaleza (Juarez Cavalcanti/Petrobras)

Refinaria da Petrobras no Ceará foi vendida por 55% do seu valor, diz estudo

Conforme o levantamento, a refinaria está avaliada com um valor mínimo de US$ 62 milhões. Porém, o preço de venda negociado foi de US$ 34 milhões

O preço de venda que a Petrobras negociou a Refinaria Lubrificantes e Derivados do Nordeste (Lubnor) localizada em Fortaleza, no Ceará, para a Grepar Participações Ltda representa, pelo menos, 55% do seu valor. A conclusão é de estudo realizado pelo Instituto de Estudos Estratégicos de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (Ineep).                                
                            
Conforme o levantamento, a refinaria está avaliada com um valor mínimo, pelas projeções cambiais mais elevadas deste ano, de US$ 62 milhões. Porém, o preço de venda negociado pela estatal com o potencial comprador foi de US$ 34 milhões.

Além disso, o estudo detalha que a Lubnor tem um potencial importante de geração de caixa futura, ou seja, a refinaria pode estar "sendo subvalorizada nesse momento de venda."                           
                        
Metodologia do estudo
Para realizar o valor da Lubnor, o Ineep utilizou o método do Fluxo de Caixa Descontado (FCD), que se baseia no valor presente dos fluxos de caixa, projetando-os para futuro. Do resultado, são descontadas: taxa que reflete o risco do negócio, despesas de capital (investimento em capital fixo) e necessidades adicionais de giro. 

"Este fluxo de caixa é calculado tanto para a empresa como para o acionista. Trata-se de um modelo de cálculo que apresenta o maior rigor técnico e conceitual, sendo, por isso, o mais indicado e adotado na avaliação de empresas", aponta a entidade.

Com isso, o estudo se baseia em dois cenários-base, considerando um piso cambial de US$ 5,08 e um pico de US$ 5,70. "Essa faixa foi adotada em função da alta volatilidade cambial da economia brasileira no cenário de negociação do ativo. A partir desses dois cenários, e baseando-se nesse piso e pico cambial, o estudo conclui que a refinaria pode valer de US$ 62 milhões a US$ 70 milhões", detalha.

O Ineep acrescenta que como a Petrobras não apresenta valores “isolados” de cada refinaria, para estimar as receitas e despesas da Lubnor, foi realizado um rateio dos dados disponibilizados pela empresa.

Ou seja, esse valor pode variar, dependendo das despesas efetivas da refinaria. Além disso, deve-se considerar que as receitas podem variar em função das premissas adotadas para determinar o preço de petróleo utilizado no cálculo da geração de caixa futuro. Todavia, mesmo considerando variações, o Ineep não observou nenhum cenário em que o preço do ativo estivesse no valor vendido pela Petrobras.

Em relação às receitas da Lubnor, foram levadas em conta a produção dos derivados da refinaria, a capacidade de produção, entre outras informações. Para definir a premissa de nível de produção e preço da carga fresca processada da refinaria, foram utilizadas na projeção futura as informações trimestrais da Petrobras desde 2019.

Já em relação às despesas, o Ineep realizou o rateio para a Lubnor a partir dos dados disponíveis de custo de produção e refino, bem como das despesas administrativas em igual período. 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas