Serasa inclui Arena Corinthians em sua lista de devedores

esportes
19.09.2019, 18:57:48
Atualizado: 19.09.2019, 19:06:25
(Foto: Shutterstock/Reprodução)

Serasa inclui Arena Corinthians em sua lista de devedores

Autorização para ação foi dada em agosto pela Justiça

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O Serasa informou que cumpriu a determinação da Justiça Federal e incluiu a Arena Itaquera S/A em seu cadastro de inadimplentes. A inclusão atende ao pedido da Caixa Econômica Federal que executou o Corinthians judicialmente por não pagar seis meses de parcelas do financiamento do estádio.

A Justiça autorizou em 27 de agosto que a arena em Itaquera tivesse o nome incluído na lista do Serasa. No processo, o banco informa que o Corinthians não paga as parcelas do financiamento da arena desde março e, por isso, cobra uma multa no valor de R$ 48,7 milhões. A informação de que a inclusão foi concluída consta no processo.

O total da causa é de R$ 536 milhões, o que inclui multa, juros e correções, além do valor do financiamento para a obra do estádio. Na ação, que está na 24.ª Vara Cível Federal de São Paulo, o banco alega que estão em aberto as parcelas de março, abril, maio, junho, julho e agosto deste ano.

A parcela de janeiro, paga, foi de R$ 6.442.357,31 e a de fevereiro, também quitada, foi de R$ 6.565.312,96, e as duas totalizam R$ 13.007.670,30. O valor em aberto dos meses subsequentes é de R$ 33.789.494,81.

A Caixa emprestou inicialmente R$ 400 milhões ao Corinthians para a construção do estádio. Desde o início do financiamento, em 2014, o clube pagou cerca de R$ 160 milhões, sendo R$ 80 milhões de fevereiro de 2018 até agora. Mas como corre juros mensais, a dívida atual, segundo o Corinthians está na casa dos R$ 470 milhões. De acordo com a Caixa, R$ 536 milhões por causa da multa por atraso de pagamento.

O Corinthians alega ter dinheiro para pagar as parcelas deste ano com a Caixa e espera chegar a um acordo ainda neste mês.

O diretor financeiro do Corinthians, Mátias Romano Ávila, informou em entrevista ao Estado que o dinheiro utilizado para pagar o financiamento vem das bilheterias e, caso não seja o suficiente para saldar a dívida em alguns dos meses, há a possibilidade de incluir os valores de shows - segundo ele, existe a previsão de acontecer 20 eventos além do futebol no estádio.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas