Síndrome de Borderline: conheça o transtorno, condição de participante d'A Fazenda

variedades
17.09.2020, 20:36:00
Atualizado: 17.09.2020, 20:37:56

Síndrome de Borderline: conheça o transtorno, condição de participante d'A Fazenda

Instabilidade emocional, mudança brusca de humor e impulsividade são alguns da Síndrome de Borderline; Raissa Barbosa teria a doença

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

A modelo Raissa Barbosa, participante do reality "A Fazenda", teve o nome repercutido nas redes sociais após apresentar um comportamento alterado no programa, na última terça-feira (15). Segundo a jornalista Fábia Oliveira, do jornal O Dia, o quadro apresentado pela peoa é consequência de uma condição da qual sofre, a Síndrome de Borderline, um transtorno de personalidade que tem como um dos sintomas a instabilidade emocional.

O momento ocorreu logo após o processo de votação que mandou a modelo para a "roça" e fez com que ela reagisse à indicação, socando travesseiros e jogando água na cara de outros participantes. Ao ser acalmada pelas colegas de confinamento, como a cantora Jojo Todynho, Raissa chegou a desabafar: "Parece que eu estou fora do meu corpo".

A Fazenda: Raissa tem ataque de fúria e joga água em peões após ir pra Roça

(Foto: Reprodução)

A participante ainda chegou a gritar pela casa e a chorar em outros momentos, recebendo o apoio de  peões que acompanharam a cena de perto. "Eu estou surtando muito, vocês não sabem", confessou a modelo em meio a crise.

Síndrome de Borderline: entenda o transtorno
João Barbosa, professor do departamento de psicologia da Universidade Federal do Ceará (UFC), explica que a Síndrome de Borderline é um transtorno de personalidade que leva o indivíduo a apresentar mudanças bruscas de humor e a agir de maneira impulsiva. "No conceito antigo, o nome Borderline vem de uma concepção que coloca o paciente entre neurótico e psicótico", pontua.

Segundo especialista, o discurso acerca da doença é novo e ainda não é possível afirmar se o transtorno é biológico ou ambiental. Apesar disso, Barbosa afirma que o indivíduo com essa condição apresenta os sinais e sintomas desde criança, passando a adotá-los como "características" suas.

O transtorno pode ainda ser acentuado por situações de rejeição ou abandono que a pessoa com a síndrome tenha sofrido durante a infância. "Por exemplo, se a criança tenta abraçar a mãe e ganha uma recusa, ela não entende o motivo e se sente rejeitada", explica o especialista.

Síndrome de Borderline: diagnóstico e tratamento
Barbosa ainda explica que a diagnosticação da síndrome é difícil, porque o paciente pode apresentar quadros diferentes, como depressão e ansiedade, em períodos de tempo curtos. Dessa maneira, geralmente o diagnóstico é dado por "exclusão", quando especialistas descartam outras síndromes, depois de terem as considerado.

O tratamento é realizado por meio de terapia ou medicação, mas os remédios nem sempre podem surtir o efeito esperado e o acompanhamento de um profissional é o mais indicado. As sessões terapêuticas funcionam como meio do paciente entender o que está acontecendo com ele e compreender a sua situação, como explica João.

"Na terapia o indivíduo vai tomando uma percepção da forma como ele age, identificando as coisas que está fazendo. Ele tem que entender que tem dificuldade de compreender sentimentos, de agir por conta própria", pontua o especialista.

Síndrome de Borderline: saiba quais são os sinais e sintomas
O assunto vem a tona no mês da campanha Setembro Amarelo, movimento em prol da saúde mental e de prevenção ao suicídio. Para incentivar a busca por um diagnóstico clínico, o especialista lista os principais sintomas e sinais apresentados por quem tem o transtorno.

> Mudança brusca de personalidade
> Dificuldade de lidar com perdas (como fins de relacionamentos)
> Impulsividade extrema, quando o corpo não consegue ter controle sobre as ações que realiza
> Medo intenso da rejeição, não saber lidar com situações como abandono
> Grandes mudanças de humor, quando o indivíduo vai da raiva à alegria em questão de minutos

*Matéria originalmente publicada em O Povo Online, parceiro do CORREIO pela Rede Nordeste

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas