Sucesso na Rua das Rosas, na Pituba, conheça o cantor TK, o rei da noite de Salvador

entre
24.10.2021, 17:25:00
Atualizado: 24.10.2021, 19:45:31
(Divulgação)

Sucesso na Rua das Rosas, na Pituba, conheça o cantor TK, o rei da noite de Salvador

Artista ganhou o carinho do público com seu jeito etílico de ser

No meio do show, o cantor TK, monarca proclamado como rei dos bares de Salvador, quiçá de toda Bahia, interrompe seu show para desafiar quem pretende tomar seu trono por direito. É preciso beber uma garrafa de cerveja (600 ml) no gargalo, no menor tempo possível. Ainda não houve um digno para vencer a nova sensação musical na cidade mais boêmia e cervejeira do mundo. Seu castelo, a Rua das Rosas, na Pituba. Mas seu desejo é expandir seu reinado. Com uma mistura sertaneja  com toques de forró e do próprio axé, TK, o Rei do Bar, é sucesso neste retorno gradativo das noites soteropolitanas durante a pandemia.

"Basta aparecer no show e aceitar o desafio. É só virar uma garrafa de 600 ml no gargalo sem parar", resume TK, que faz questão de interagir com o público do início ao fim. Para ele, principalmente nesta reabertura dos bares, as pessoas querem esta aproximação, o calor e o carinho do cantor. O ‘problema’ é que os fãs do Rei do Bar não param de agradar o cantor com bebidas de todo o tipo oferecidas no palco. E, para não fazer desfeita, nada de recusar os mimos.  É um tal de beber e cantar digno de um monarca boêmio. 

"Com esta proximidade com o público, eles se sentem verdadeiros amigos do TK e assim eu também os considero. Eles mandam bebidas para o palco e eu procuro não negar o brinde para não fazer desfeita, né? Vem cerveja, cachaça, vodka, todo tipo de bebida", conta Tharcisio Kleber (nas horas vagas), de 32 anos. "Dessa brincadeira um dia saudei o público enchendo o meu chapéu de vaqueiro de cerveja, o pessoal gostou demais de ver eu bebendo no chapéu. A agenda e o fluxo de shows vem trazendo desafios, que é justamente dosar uma quantidade de bebida que não tire o equilíbrio do cantor", completa, aos risos. 

Seu mais novo sucesso, disponível nas plataformas musicais, não fala propriamente do bar, mas da falta dele. Intitulado de Fui Parar no Cabaré, o single conta um fato que incomoda milhões de baianos pré-pandemia. Buscar um lugar para a saideira em dia de reggae. O problema é que o cidadão da música não acha canto nenhum e acaba parando no cabaré Depois, precisa explicar para a companheira sobre o canhoto de pagamento no digníssimo recinto.  

O sucesso
Curiosamente, apesar de anos na estrada musical, foi justamente neste momento de  reabertura na pandemia que ele viu o sucesso crescer, principalmente nos barzinhos da Pituba. Seu título de rei dos bares também é recente. "Foi no dia 24 de julho deste ano, para ser preciso, que nasceu TK o Rei do Bar, no Evento “ Bordel do TK “ no Hype Bar , na Vila dos Namorados. De lá para cá estamos construindo essa nova história de quase 3 meses", disse TK, natural de Itabuna, que conta como foi curiosa seu sucesso nascer justamente nesta pandemia, ou melhor, na reabertura após o período de fechamento na área de shows.

"O projeto Rei do bar surgiu exatamente nesse cenário da reabertura gradativa. É um desafio enorme manter todos os protocolos, principalmente aqui na Bahia, onde extravasar é palavra de ordem para os baianos. Ficar sentado na mesa enquanto a sua maior vontade é levantar e dançar é muito sacrificante em Salvador, a capital da alegria", conta TK, que respeita todos os protocolos de segurança. 
TK é para todos os gostos. Além do sertanejo e da sofrência, o Rei tempera seus shows com a percussão do axé, um estilo que ele se diz fã. "Sou carnavalesco de nascimento. Nasci dia 7 de fevereiro de 1989, uma terça-feira de carnaval em Itabuna. Salvador é sim a terra do axé. Inclusive sou fã demais do estilo. Tem espaço para todos sim, inclusive a nossa essência permeia arrocha, que é baiano, e elementos do piseiro. Quero inserir elementos percussivos nessas duas vertentes que permeiam o nosso show. Uma Percussão bem animada e alegre pra fundir com a alegria deste retorno depois de um período tão triste da pandemia", diz.  

A carreira de TK começou em 2017, quando decidiu largar o emprego numa multinacional e viver da música. Como todo sonho, ele teve seus obstáculos. Tocava em micaretas pelo interior, casamento, eventos e aniversário de bonecas. Cantava de tudo, incluindo axé. O reconhecimento chegou quando começou a abrir os ensaios do É O Tchan. Toda esta bagagem ele leva para seu público, principalmente dos barzinhos da Pituba, na Rua das Rosas. 

"A gente trabalha muito pensando no público, desde o fechamento do show até o dia do espetáculo, o meu foco principal é o público. E chegar lá e perceber que a galera compareceu para prestigiar enche você de alegria e energia para fazer a sua noite ser inesquecível. Começo observando como está o clima de cada um para direcionar o repertório com intenção de agradar a maioria. E nisso rola troca, a galera que conduz o show junto comigo", completa. A troca é bem intensa. "TK, meu filho. Seu show foi destruição. Ninguém conseguiu trabalhar no outro dia", disse um fã, nas redes. Esse rei sabe tratar bem seus súditos. 


AGENDA DE SHOWS

24/10 - Vila do Bem  - Terminal Náutico

29/10 - Lauro de Freitas - Villa Armazem 20:30
             alvador - Rio Vermelho - Wanted Pub 00:00
30/10 - Cien Fuegos
31/10 - Prainha Villas
31/10 - vila do Bem

Horário a definir. Confira detalhes na página oficial do cantor no Instagram (@tkoreidobar)

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas