Supermercado de Salvador ganha câmara de desinfecção com raios ultravioleta

salvador
07.08.2020, 22:23:00
Atualizado: 07.08.2020, 22:39:08
(Foto: Nara Gentil/CORREIO)

Supermercado de Salvador ganha câmara de desinfecção com raios ultravioleta

Estrutura higieniza carrinhos de compra e aumenta segurança para clientes

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Ir ao mercado em tempos de pandemia se transformou em um evento muito mais complexo do que apenas decidir o que comprar. Para além das compras seguindo uma série de medidas de segurança, as sacolas ainda precisam passar por uma higienização quando os produtos chegam em casa. Quem for às compras no Big Bompreço do Iguatemi, no entanto, vai ganhar uma ajuda extra. Uma cabine de desinfecção foi instalada na loja.

Buscando oferecer um ambiente mais seguro para colaboradores e clientes na proteção contra a propagação da covid-19, a estrutura utiliza raios ultravioleta para higienizar as compras no carrinho. Até o final de setembro, a solução estará instalada em 50 lojas no país. Em Salvador, mais cinco lojas devem receber o equipamento, incluindo Big Bompreço, Super Bompreço e Sam's. Além da loja baiana, outras duas lojas da rede em São Paulo já contam com a cabine. 

Quem for utilizar a novidade precisa estar atento às regras. Por meio dos raios ultravioleta, são higienizados carrinhos com até 50 unidades de produtos A cabine comporta um carrinho por vez, e o processo de desinfecção leva 90 segundos. A tecnologia atua para reduzir de forma considerável a carga viral na superfície dos produtos, facilitando assim o processo de higienização, podendo ser adotada como um complemento no combate ao coronavírus.

Apesar da ajuda, a máquina não substitui o processo de limpeza que deve ser realizado quando as compras chegam em casa. A infectologista Clarissa Ramos chama atenção para a necessidade de seguir com os hábitos de limpeza e higiene em casa.

“Não adianta passar por uma máquina dessas e achar que você não precisa lavar as compras, nem lavar as mãos que tocam os produtos pra guardar. Esse túnel atua nas sacolas, e não há comprovação de que as sacolas plásticas sejam de fato um agente transmissor eficaz do vírus. Então é perigoso que a máquina acabe passando uma falsa sensação de segurança”, detalha. 

Além da cabine, o grupo adotou o processo de desinfecção das lojas por meio de vaporizadores, instalou placas de acrílico na frente dos caixas e adesivou o chão das lojas para orientar as pessoas sobre a distância mínima a ser adotada para evitar aglomerações nas filas. O uso de álcool também está ocorrendo para reforçar a higienização dos carrinhos de compra e corrimãos após a lavagem tradicional com água e sabão.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas