Um novo olhar sobre o Rio de Janeiro, visto do bairro de São Conrado

bazar
31.08.2017, 18:55:00
Atualizado: 31.08.2017, 18:57:38

Um novo olhar sobre o Rio de Janeiro, visto do bairro de São Conrado

Longe do agito de Copacabana e da badalação da Barra, bairro conquista pelo charme

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Todos os dias, a gente vê o lado triste e desigual do Rio de Janeiro no noticiário. É tanto absurdo que quando chegamos à cidade achamos que ela nem é tão maravilhosa assim. Foi meio na deprê que rumei para a capital carioca mais uma vez. Mas bastou chegar a São Conrado para sentir uma alegria preencher meu coração. A praia tranquila com um calçadão bom para caminhar, sem aquela agonia exibida de Copacabana e Ipanema, me conquistou. 

Gran Meliá Nacional Rio de Janeiro: reforma do edifício criado por Oscar Niemeyer em 1972 custou R$ 430 milhões; prédio é um dos atrativos do bairro de São Conrado

São Conrado é pequeno, charmoso e a cara da riqueza. Endereço de abastados, é delimitado pelo Morro Dois Irmãos, por onde passa a Avenida Niemeyer; a Rocinha, considerada a maior favela urbana da América Latina; a imponente Pedra da Gávea, que o separa do Joá; a Pedra Bonita, onde os mais corajosos saltam de asa-delta; e o mar. 

A região abriga o São Conrado Fashion Mall, o Gávea Golf Country Club, que começa na orla e vai até a área de preservação florestal, e o Gran Meliá Nacional Rio, reaberto em março, depois de 20 anos fechado.  

Considerada boa para o surf, praia de São Conrado atrai praticantes

Com história
O resort urbano é uma atração à parte. Primeiro hotel de luxo da marca Gran Meliá no Brasil, ocupa o edifício mais alto do Rio. Projetado por Oscar Niemeyer em 1972, teve recuperado o jardim  concebido por Roberto Burle Marx, que, na época, tinha  46 espécies de plantas nativas. Sua reforma custou R$ 430 milhões.

Reconhecido como patrimônio nacional pelo Iphan, o hotel é uma verdadeira galeria de arte, que abriga em seu lobby de 3 mil m² um painel de Carybé com 268 lajes de concreto esculpidas individualmente que retratam personagens cariocas clássicos, além da gigantesca escultura  suspensa  de Pedro Corrêa de Araújo. Olhando para o oceano está a  Sereia de Alfredo Ceschiatti, que dá nome ao restaurante  mediterrâneo com toque brasileiro do térreo. Esse é apenas um dos espaços de convivência do resort, que tem outro restaurante no 32º andar e os bares Amaro e Bardot, além do Roof Top Bar, que será inaugurado no fim do ano, com vista 360 graus para a cidade.

Obra de Pedro Corrêa de Araújo e mural de Carybé no lobby

Como chegar
São Conrado fica na Zona Sul. A principal via de acesso é a Auto Estrada Lagoa-Barra, mas pode usar a Avenida Niemeyer, vindo do Leblon, a Estrada do Joá, vindo da Barra da Tijuca, ou a Linha 4 do metrô.

Praia
Chamada antigamente de Praia da Gávea, a praia de São Conrado tem 3 quilôme- tros  de orla margeados por uma ciclovia. As ondas são consideradas das melhores da região, atraindo os praticantes de surf.

QuiQui
Para se refrescar em uma tarde de calor, curtir o pôr do sol ou encontrar os amigos à noite, o destino mais badalado à beira-mar é o QuiQui, quiosque charmoso que investiu em um menu de comidinhas compartilhadas, bebida gelada e música para atrair uma clientela estrelada. Aberto há um ano por Rick Amaral (filho do antigo rei da noite do Rio, Ricardo Amaral) com sócios, o espaço funciona terças, quartas e quintas a partir das 17h e às sextas, sábados, domingos e feriados a partir do meio- dia. Comece com um chope gelado e dadinhos de tapioca com geleia de pimenta (R$ 27) e siga sem pressa.

A imponente Sereia de Alfredo Ceschiatti fica voltada para o mar e é o ponto alto da área da piscina, que abriga o bar Bardot

Aventura
São Conrado é o bairro mais verde do Rio de Janeiro. Então, se você curte uma trilha, está no lugar certo. Maior floresta urbana do mundo, a da Tijuca tá bem ali, e é nela que você encontra dois famosos pontos de turismo de aventura da cidade: a Pedra Bonita e a Pedra da Gávea - cartão-postal da região e maior bloco de pedra à beira-mar do planeta, com 842 metros de altura. Para subir a primeira, que tem 510 metros de altura, leve água e um lanchinho para segurar firme até o fim da caminhada. É mato, com mico e bicho-preguiça posando pra foto, então esqueça lanchonete, banheiro e outros serviços. Vale também levar uma canga para sentar na pedra quando chegar ao cume. Os mais corajosos podem contratar o serviço de um 
instrutor e encarar um voo de asa-delta. 

Disposição
A subida da Pedra Bonita tem grau fácil de dificuldade mas, vá por mim, precisa ter disposição e habilidade já que é uma subida em terreno íngreme, mesmo que bem mais simples que a escalada da Pedra da Gávea, indicada para experts. Ainda assim, se não se sentir seguro, contrate um guia. O nosso, Robson Costa, da Rio Ecoturismo, enriqueceu o passeio com informações.  O tempo de percurso é de 40 minutos, mas eu levei mais de uma hora e parei várias vezes porque estou fora de forma. Mas garanto que a emoção de estar lá em cima vale qualquer esforço. O cume fica sobre uma laje de pedra de onde se avistam as praias da Zona Sul, a Barra e a Floresta da Tijuca, o Morro Dois Irmãos, a rampa de voo livre, o Cristo Redentor e, bem em frente, a Pedra da Gávea. 

Charme antigo
Durante o seu apogeu, nos anos 70 e 80, o Hotel Nacional era um famoso  ponto de encontro de celebridades, incluindo Liza Minnelli, BB King e James Brown. É bem esse clima glamouroso que a gente sente quando entra no novo Gran Meliá Nacional Rio. O respeito à história norteia o projeto, tanto na valorização das obras de arte originais quanto na estética retrô das áreas comuns, assinadas pela designer de interiores Débora Aguiar. 

Vista para a Pedra da Gávea de um dos quartos do Hotel Nacional (Foto: Divulgação)
Vista para a Pedra da Gávea de um dos quartos do Hotel Nacional (Foto: Divulgação) ((Foto: Divulgação))
Dadinhos da tapioca: belisquete premiado do quiosque QuiQui (Foto: Gabriela Cruz/CORREIO)
Dadinhos da tapioca: belisquete premiado do quiosque QuiQui (Foto: Gabriela Cruz/CORREIO) ((Foto: Gabriela Cruz/CORREIO))
Caipifruta de tangerina do restaurante Sereia: R$ 32 (Foto: Gabriela Cruz/CORREIO)
Caipifruta de tangerina do restaurante Sereia: R$ 32 (Foto: Gabriela Cruz/CORREIO) ((Foto: Gabriela Cruz/CORREIO))
Cenário incrível do cume  da Pedra Bonita vale o esforço da subida (Foto: Gabriela Cruz/CORREIO)
Cenário incrível do cume da Pedra Bonita vale o esforço da subida (Foto: Gabriela Cruz/CORREIO) ((Foto: Gabriela Cruz/CORREIO))
Um dos três bares do hotel,  o Amaro fica no lobby de 3 mil m² (Foto: Gabriela Cruz/CORREIO)
Um dos três bares do hotel, o Amaro fica no lobby de 3 mil m² (Foto: Gabriela Cruz/CORREIO) ((Foto: Gabriela Cruz/CORREIO))
SPA Clarins: vista para o jardim de Burle Max com forma de sereia (Foto: Divulgação)
SPA Clarins: vista para o jardim de Burle Max com forma de sereia (Foto: Divulgação) ((Foto: Divulgação))

Serviço de luxo
O design circular e a fachada de vidro permitem vistas panorâmicas do chão ao teto, tanto das áreas comuns quanto das privativas. São 413 quartos, de 33 a 300 metros quadrados, incluindo uma suíte presidencial e 66 executivas. Reservas a partir de R$ 599 + taxas (varia de acordo com a época do ano, então liga pra lá: 0800 591 3008). 

Riqueza e glória
O serviço da marca Gran Meliá permite acesso a espaços exclusivos, como o RedLevel Lounge, que tem uma área de recepção privada, lounge-biblioteca com TV e música, área de café da manhã privativa e um bar aberto com bebidas Premium. O RedLevel estará operacional até o final do ano.

Convivência
O lobby do hotel permite diversas experiências que vão além da contemplação da arte. Dá para escolher um dos pratos no restaurante A Sereia ou tomar um drinque no Amaro. O preferido de hóspedes e visitantes é o Bardô, à beira da piscina, bem no clima balneário, com suas toalhas que trazem o nome do espaço em preto e branco e acesso à praia em frente. Quando inaugurar, o Roof Top Bar deve assumir o posto de queridinho. Exclusivíssimo, terá um heliporto para acesso dos convidados VIP.

Relaxa, baby
Para completar a lista luxuosa de serviços, o Gran Meliá Nacional Rio possui o único SPA Clarins na América Latina, dedicado a saúde, beleza e experiências sensoriais. Para cuidar do corpo, o resort ainda oferece academia de ginástica e um estúdio fitness com instrutores pessoais.

A jornalista viajou a convite do Gran Meliá
 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas