Você sabe inovar? Especialistas explicam como conseguir esse diferencial nos negócios

empregos
20.01.2022, 05:28:00
Investir em inovação é ter a certeza de vender mais e criar diferenciais potentes no mercado (Shutterstock/reprodução)

Você sabe inovar? Especialistas explicam como conseguir esse diferencial nos negócios

Inovação é diferencial de mercado

Netflix, Airbnb, Spotfy, Ifood e Uber. Sabe o que essas organizações têm em comum? Elas mudaram a forma que seus usuários assistem filmes, se hospedam, escutam música, pedem comida e se locomovem nas cidades, em outras palavras, elas inovaram nas formas de fazerem negócios. Ao contrário do que muitos imaginam, inovação não está vinculada necessariamente à tecnologia.

 A política empresarial é inovadora quando ela consegue entregar mais e melhor que seus concorrentes, seja criando uma nova clientela ou quando estabelece uma disrupção na forma de realizar um produto ou serviço.

Especialista em gestão de negócios e professor de Marketing Éber Feltrim destaca que as empresas que investem em inovação saem na frente e ficam muito mais competitivas, produtivas, vendendo muito mais. “Portanto, você começa a ter muito mais escala de negócio do que quem não investe em inovação. Isso aí reduz tempo, reduz custo de operação”, esclarece.

Felipe Gomes lembra que, para inovar, é fundamental haver dedicação, criatividade e investimento nos processos (Foto: Divulgação)

Para Felipe Gomes dos Santos, executivo da Crowe, oitava rede mundial nas áreas de auditoria e consultoria, o ponto alto da inovação é mudar o hábito de seus usuários.”Inovar nos negócios não é uma tarefa simples, exige dedicação, criatividade, investimento tanto financeiro quanto intelectual, e pontualmente assumir alguns riscos. Uma vez que o processo de inovação busca fazer algo diferentes, melhor, seja no relacionamento com cliente, no processo produtivo ou na constituição de um novo produto/ serviço”, explica. 

Passo adiante

O representante da Crowe lembra que as empresas que investem em inovação tendem a sair na frente na competição pelo mercado, uma vez que todo processo de inovação visa melhorar a produtividade da empresa ou a experiência do cliente, sendo assim, empresas efetivamente inovadoras costumam ser mais competitivas do que as empresas presas a seus processos e produtos de sempre.

“ A empresa precisa ter a inovação como parte integrante da cultura organizacional, precisa incentivar seus profissionais a pensarem diferente, promover a inovação no dia a dia. A cultura de inovação gera boas ideias, e se bem colocadas em prática podem gerar o diferencial necessário para que a empresa seja referência em seu setor”, defende Felipe.

Mohamad Ali Menhem, CEO & Founder da Station Solutions, primeiro polo de assistência técnica de eletrônicos do Brasil, destaca que as  Pequenas e Médias Empresas (PMEs) também podem, e devem, tirar proveito das inovações, que revolucionam o modelo de negócio. “Inovação não significa invenção, e muitos empreendedores acreditam que inovar significa criar, do zero, processos ou tecnologias completamente novas. Existem semelhanças na aplicação dos termos invenção e inovação em um negócio, mas a inovação pressupõe a implementação de ações, medidas e práticas que já existem”, enfatiza.

Para Mohamad, nesse processo, é fundamental estar informado, atualizado e inserido diretamente no ambiente de atuação do seu negócio, além de buscar incansavelmente por melhorias e excelência no atendimento. “Produtos de qualidade e uma abordagem diferenciadas com valor são os melhores caminhos a serem seguidos”, ensina. 

Novos modelos

 Marcos Pergher, diretor da Start Química, precisou inovar no início da pandemia de COVID 19, quando a  falta de matérias-primas e escassez generalizada impôs o desenvolvimento de novos itens,linhas e produtos. “Nós inovamos até os  modelos de negócio dentro do grupo e instituímos uma parceria com a rede de lojas Start Shop. Em vez de trabalhar com o conceito de franquias, a Start optou por trabalhar com o conceito de licenciamento de uso da marca. Sem o pagamento de royalties, taxas, nem mensalidades, ela pede ao lojista apenas a exclusividade de compra dos seus produtos, naquilo que a Start produz”, esclarece. 

Marcos Pergher, da Start Química, precisou inovar no negócio e chegou a adotar um novo modelo para permanecer no mercado no auge da pandemia (Foto: Divulgação)

Pergher destaca ainda que, no caso deles, o que não é produzido, pode ser trabalhado na loja com outras marcas, outros segmentos. “Assim, a expansão dessas lojas com foco em limpeza profissional foi de 5 lojas em 2019 para 320 lojas até hoje”, completa.

De 2020 para 2021, a Start Química teve um crescimento de 25% e a meta para esse ano é crescer 35%. “Desde 2010, temos também projetos de inovação apresentados ao Ministério de Ciência e Tecnologia, através da Lei do Bem. Hoje a Start produz 95% das embalagens utilizadas em seu processo produtivo”, comemora  Marcos Pergher. Na verdade, a meta da empresa é fechar o ciclo de produção de plásticos. 

“Em 2015, iniciamos as atividades de uma fábrica de reciclagem, onde além da compra de material oriundo de reciclagem, realizamos a coleta do material plástico, através de cooperativas de catadores na região e introduzimos o material reciclado no processo de produção de embalagens. Hoje, 60% das embalagens são de materiais reciclados”, completa. 

Para 2030, a empresa pretende atingir 90% das embalagens utilizadas sendo produzidas com material reciclado. Em relação ao consumo de energia, considerado alto para esse tipo de operação, neste ano de 2021, eles adquiriram uma planta totalmente autossuficiente em energia elétrica, proveniente de fontes limpas e renováveis (energia solar).

O Brasil ocupa, hoje, a 57ª colocação no Índice Global de Inovação (IGI) entre 132 países, subindo cinco posições em relação a 2020. Porém, o atual índice do país ainda está abaixo do melhor desempenho alcançado em 2011, quando ficou na 47ª posição.Para o país voltar a subir no ranking e, consequentemente, acelerar ainda mais esse processo de inovação é preciso estabelecer ações que promovam esse processo. 

Para inovar

  1. Conheça o seu mercado e todas as nuances
  2. É preciso ter um planejamento financeiro e ter parceiros,além de investidores
  3. Não tenha medo de errar. Levanta, sacode a poeira e dá a volta por cima. 
  4. Transforme as ideias em resultados. 
  5. Contrate uma boa consultoria que entenda daquele negócio 
  6. Pesquise muito bem o mercado
  7. Se questione:  Quais formas posso inovar? Onde eu estou? Pra onde eu vou?Como eu chego lá?

(Fonte: Éber Feltrim)
 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas