Ipac aprova reforma do Edifício Oceania, na Barra

A edificação foi construída em 1930 e é tombado pelo Ipac

Publicado em 29 de outubro de 2015 às 15:42

- Atualizado há 10 meses

O projeto de reforma do Edifício Oceania, localizado em frente ao Farol da Barra, em Salvador, foi aprovado pelo Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (Ipac). A notícia foi informada pelo órgão nesta quinta-feira (29). O prédio é tombado como Patrimônio Cultural da Bahia desde 2008 e o condomínio havia iniciado reformas sem consultar o IPAC.

Construído da década de 1930, com materiais trazidos da Europa, detentor de influências arquitetônicas art déco, cubista e modernista. O edifício possui 12 andares, oito pavimentos, cinco elevadores, 48 apartamentos com dois, três e quatro quartos, todos com vista para o mar.O prédio foi erguido durante a 2ª Guerra Mundial, pela Companhia Brasileira de Imobiliária(Foto: Marina Silva/CORREIO)O prédio foi erguido em plena 2ª Guerra Mundial, pela Companhia Brasileira de Imobiliária, através do escritório Freire e Sodré. A obra começou em 1932, mas devido à guerra, demorou cerca de dez anos para ficar pronto. Em 1946, foi inaugurado o Cinema Oceania, com poltronas estofadas e ar-condicionado, e serviu palco para vários artistas.

No Oceanina,  o IPAC detectou ainda intervenções como vidros escuros nas janelas, oxidação das grades de ferro com padrões artísticos, colocação de antenas, fechamento de varandas e substituição de janelas. O órgão alerta que os donos de imóveis tombados pelo Estado que desejam fazer modificações, construções, restaurações ou reforma que alterem a estrutura ou tipologia, devem submeter o projeto para aprovação do IPAC.

Serviço

Ainda segundo o Ipac, para as edificações tombadas através do Instituto em toda a Bahia, basta que sejam apresentados os projetos de reforma na sede do órgão, localizada na Rua Saldanha da Gama, nº25, Praça da Sé, no Centro Histórico de Salvador. “É fundamental que os proprietários de imóveis tombados consultem o órgão que está responsável por essa fiscalização”, alerta o diretor geral do IPAC, João Carlos de Oliveira.

Informações também são fornecidas através da Gerência de Patrimônio Material (Gemat) do IPAC, via telefone (71) 3116-6742 e endereço [email protected].