Suspeito de participar de assalto e morte de PM na Pituba é preso

Ele era último foragido do caso e foi detido em ação no Nordeste de Amaralina

Publicado em 21 de setembro de 2017 às 19:47

- Atualizado há 10 meses

. Crédito: Alberto Malraux/Divulgação/SSP

Suspeito de participar da morte de um policial militar na Pituba, Vitor Santos da Silva Pires, 22 anos, foi preso no Nordeste de Amaralina durante uma ação da PM na região na quarta-feira (20). Ele era o último envolvido ainda foragido e foi detido na localidade do Areal por policiais da Rondesp e Patamo. O PM Aldo Carvalho Santos, 46 anos, foi morto durante um assalto a uma Drogasil na Avenida Manoel Dias em janeiro deste ano.

Vitor tinha um mandado de prisão em aberto pelo homicídio. Ele foi um dos oito presos durante a ocupação da PM no complexo do Nordeste de Amaralina. Para o delegado Odair Carneiro, coordenador da Força Tarefa que investiga morte de policiais, a prisão de Vitor encerra a investigação do caso.  “Conseguimos prender todos os envolvidos na morte do sargento. E agora, graças ao  trabalho da Polícia Militar, concluímos o inquérito,” diz.

Ao ser preso, Vitor tinha um ferimento de tiro na perna, por conta de um confronto com PMs na tarde de ontem, na região da Sucupira.

CrimeCinco homens participaram do assalto e o sargento da PM Aldo Carvalho Santos, 46 anos, foi baleado na saída da farmácia, já no estacionamento. O PM era lotado na 13ª Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM/Pituba). Ele foi socorrido por colegas de corporação ao Hospital da Bahia, também na Pituba, chegou a ser reanimado mas acabou morrendo. 

Em nota de pesar, a corporação detalhou o perfil do servidor. "O sargento Aldo era figura querida entre os colegas da Corporação, a qual servia há mais de 25 anos, e já se preparava para ingressar na inatividade. Deixa esposa, um filho e um neto", informou a PM.

Segundo relato, o PM não estava trabalhando, estavam sem farda e entrou na farmácia como cliente acompanhado da esposa. No momento, o assalto já estava em andamento. Dentro do local, ele percebeu a movimentação dos criminosos e tentou sair da farmácia. No mesmo momento, dois dos bandidos correram em direção a ele. Delegados que estavam no local do crime dizem que aparentemente ele não reagiu. 

Aldo chegou a ser socorrido ao Hospital da Bahia, foi reanimado pela equipe médica, mas seu estado de saúde já era crítico e ele faleceu momentos após dar entrada no CTI do hospital.