Além de BRT, Salvador terá corredores de ônibus BRS no Subúrbio e na Orla

Além de BRT, Salvador terá corredores de ônibus BRS no Subúrbio e na Orla

Novidade foi confirmada pela prefeitura nesta segunda (31), durante a assinatura do contrato de financiamento da segunda etapa do sistema de ônibus rápidos

Quando o Bus Rapid Transit (BRT) entrar nos trilhos em Salvador, não vai ser só o trecho entre a Estação da Lapa e a região do Iguatemi que vai ter os novos ônibus duplos. O Subúrbio Ferroviário e a Orla também vão receber outros BRTs – ou melhor, outros BRS (na sigla, em inglês, Bus Rapid Service).

O nome é parecido – e, na prática, é quase a mesma coisa. A diferença é que, enquanto a obra do BRT envolve a construção de corredores exclusivos para esses veículos, o BRS é um corredor misto: vai abrigar tanto os ônibus BRT quanto os convencionais. A novidade foi confirmada pela prefeitura nesta segunda-feira (31), durante a assinatura do contrato de financiamento da segunda etapa do BRT, em solenidade no Hotel Sheraton da Bahia, no Campo Grande.

Na assinatura do contrato, estiveram presentes o prefeito ACM Neto; o ministro das Cidades, Bruno Araújo; o ministro da Secretaria de Governo, Antônio Imbassahy; e representantes da Caixa Econômica Federal. O segundo trecho do BRT, que vai da Estação da Lapa ao bairro Cidade Jardim, vai custar R$ 412 milhões – sendo R$ 300 milhões da União, R$ 65,5 milhões do programa de contrapartidas da Caixa e outros R$ 65,5 milhões do Município.

“Estamos oferecendo uma nova perspectiva de mobilidade em Salvador, com BRT e toda essa revisão das linhas de ônibus que estamos fazendo. Isso vai permitir menos tempo de deslocamento e mais conforto para o usuário. Esse é um BRT que vai integrar os dois centros econômicos de Salvador: o antigo, na Lapa, e o moderno, no Iguatemi”, afirmou Neto, durante o evento. A expectativa da administração municipal é que o tempo de percurso entre a Lapa e o Iguatemi passe de uma hora e 40 minutos para 16 minutos.

Segundo o ministro Bruno Araújo, a construção do BRT em Salvador é uma obra que conta com mais de R$ 800 milhões em recursos federais. “A medida permite que a administração municipal possa dar mais qualidade de deslocamento para a população e fazer com que a cidade avance ainda mais na mobilidade”, comentou. Enquanto isso, o ministro Antônio Imbassahy destacou o que chamou de ‘atenção da Presidência’ com Salvador. “Estão sendo entregues R$ 300 milhões a fundo perdido, valor expressivo que não tem acontecido em outras solenidades”, destacou Imbassahy, que foi prefeito de Salvador entre 1997 e 2004.

Foto: Evandro Veiga/CORREIO

Mudança
De acordo com a prefeitura, para facilitar a captação de recursos, a obra do BRT foi dividida em três etapas: trecho um, trecho dois e trecho três. Enquanto o primeiro e o segundo trechos já estão em fase de licitação ou têm contratos assinados, a terceira etapa será um tanto diferente. Com 1,8 quilômetro de extensão, o corredor entre o Parque da Cidade e o Jardim dos Namorados será o primeiro no modelo BRS.

De acordo com o secretário municipal da Mobilidade, Fábio Mota, a prefeitura ainda busca uma linha de financiamento para as obras dessa fase. No entanto, boa parte já está garantida devido à requalificação da Avenida ACM, que deve ser concluída nas próximas semanas. 

“Está praticamente pronto. As obras que estamos fazendo lá já estão sendo adaptadas para o BRS. Tem concreto, as baias”, citou. O próximo passo é decidir como será implantada a estação da região. De acordo com ele, pelo projeto, a estação ficaria onde hoje funciona um posto de combustível ou o clube da Associação dos Servidores do Banco Central (Asbac). 

“Ou vai tirar o posto ou a Asbac. O mais importante é o povo ou o empreendimento?”, ponderou o secretário. De acordo com ele, não há prazo para definição de qual estabelecimento será removido e nenhum dos dois já teria sido notificado pela prefeitura. 

Outras duas linhas de BRS vão funcionar nas futuras Linhas Azul e Vermelha, que estão sendo construídas pelo governo do estado. A Linha Azul, que terá 12 quilômetros, vai da Orla ao Subúrbio passando pelas avenidas Pinto de Aguiar e Gal Costa. Já a Linha Vermelha, com quase 13 quilômetros, vai da Base Naval de Aratu até a Avenida Orlando Gomes. “Essas vias já estão sendo prontas para entrar o BRT. A prefeitura assumiu a operação, nessas vias, do sistema BRT”, garantiu o secretário. 

A Companhia de Desenvolvimento Urbano do Estado da Bahia (Conder), responsável pelas obras, foi procurada pelo CORREIO mas ainda não respondeu às solicitações da reportagem. 

Primeiro e segundo
O segundo trecho do BRT vai da Estação da Lapa ao bairro do Cidade Jardim. As obras incluem a construção de seis estações: Vasco da Gama, Ogunjá, HGE, Rio Vermelho, Vale das Pedrinhas e Cidade Jardim. Além disso, serão implantados viadutos na Avenida Garibaldi e elevados paralelos no Vale das Pedrinhas e no Cidade Jardim.

"A Estação do Rio Vermelho, por exemplo, vai eliminar os cruzamentos da Lucaia para que o BRT passe em linha expressa”, explicou o secretário Fábio Mota. De acordo com ele, as intervenções preveem o aproveitamento de vias de ônibus convencionais que já existem na Avenida Vasco da Gama. Nos outros pontos, serão implantadas novas vias exclusivas para o sistema, além de ciclovias. 

Enquanto isso, o primeiro trecho está em fase final de licitação. Até o dia 31, a empresa ou consórcio vencedor deve ser anunciado, enquanto a ordem de serviço para as obras está prevista para o início de setembro. O trecho 1 terá 2,9 quilômetros de extensão, com investimentos de R$ 377, financiados junto à CEF. 

As intervenções incluem a construção de três viadutos – um no sentido Parque da Cidade-Lucaia, e outros dois no sentido Parque da Cidade-Iguatemi. A previsão é que as obras dos dois trechos sejam concluídas juntas, em até 28 meses após a ordem de serviço da primeira etapa. 

De acordo com o prefeito ACM Neto, a primeira fase tem obras mais complexas. “Vai ter mais impacto no trânsito, por isso, venho pedindo a compreensão do cidadão, porque as intervenções serão muito grandes. Mas nós temos certeza que a trafegabilidade vai ser outra depois da execução dessa obra. Há, ainda, um apelo de resolver problemas históricos de drenagem na região. Quando chove muito aquele canal da (Avenida) Juracy Magalhães praticamente transborda”. Quando estiver pronto, o sistema BRT deve atender cerca de 31 mil passageiros por hora, nos momentos de pico.

O ministro Bruno Araújo lança selo comemorativo (Foto: Evandro Veiga/CORREIO)

Correios lança selo comemorativo
Ainda nesta segunda (31), durante a solenidade de assinatura do contrato do financiamento da segunda etapa do BRT, foi lançado um novo selo comemorativo pelos Correios, em homenagem ao metrô de Salvador.

“É com grande satisfação que lançamos o selo comemorativo, destacando o metrô de Salvador que integra o sistema metroviário Salvador-Lauro de Freitas. Esse é um dos projetos de mobilidade mais modernos do país e encontra-se em processo de expansão, em um momento em que mobilidade urbana destaca-se como indicador de qualidade de vida da população”, destacou a superintendente dos Correios na Bahia, Elizete de Castro. 

O ministro das Cidades, Bruno Araújo, afirmou que o selo demonstra a importância do investimento no metrô da capital baiana. “O mais importante é o governo federal aportar e ajudar o estado da Bahia e a Região Metropolitana de Salvador. Tem sido uma obra a várias mãos: governo federal, estadual e prefeitura de Salvador”, comentou ele, ao lançar o selo.