Homens matam adolescente com machado em SC e filmam crime; vídeo chocou internautas

Investigadores acreditam que a vítima seja adolescente cuja cabeça foi encontrada dentro de uma mochila

Publicado em 3 de fevereiro de 2016 às 20:15

- Atualizado há 10 meses

Homens mataram um adolescente usando um machado em Joinville, no norte de Santa Catarina, e filmaram o crime. A Polícia Civil de Santa Catarina informou, nesta quarta-feira (3), que está investigando a origem do vídeo que mostra o jovem sendo decapitado.As imagens foram compartilhadas através das rede sociais e também pelo aplicativo WhatsApp. Polícia acredita que a vítima seja um adolescente, de 16 anos, cuja cabeça foi encontrada dentro de uma mochila, no bairro Jardim Paraíso, na Zona Norte de Joinville, na noite desta terça-feira (2).Homens matam adolescente com machado em SC e filmam crime; vídeo chocou internautas(Foto: Reprodução)Nas imagens, pelo menos três homens aparecem em um matagal, com os rostos cobertos. Eles usam um machado para golpear a vítima várias vezes. Por fim, um dos assassinos usa uma faca parar terminar a decapitação."Já tivemos acesso a esse material e hoje as diligências estão focadas em encontrar o corpo dessa vítima. Queremos formalizar também com a perícia a comparação visual entre a cabeça que está no Instituto Geral de Perícias (IGP) com o vídeo. Ou seja, constatar por meio de um laudo que esse vídeo corresponde a essa execução que aconteceu na terça-feira", explicou Akira Sato, delegado regional de Joinville, ao site 'Extra'.De acordo com informações do delegado, a vítima seria um jovem com antecedentes criminais, morto por traficantes da região. "Nenhuma hipótese está descartada para esse caso, mas acreditamos que seja uma briga por território entre traficantes. Mas dívida e 'caguetagem' também estão sendo investigadas", disse Akira.A polícia afirmou também que está focada em descobrir quem disseminou o material na internet. "O vídeo foi editado com música e vamos identificar a origem da difusão desse material".As investigações do crime continuam para identificar os suspeitos de participar da execução e quem contribuiu para divulgar o vídeo. Além disso, a polícia ainda não tem informações de motivação ou local onde aconteceu o homicídio.