Lula avisa a ministros que não quer lançamento de novos programas de governo

No ano passado, Lula realizou quatro reuniões com os chefes das pastas para dar recados aos ministros

  • Foto do(a) author(a) Estadão
  • Estadão

Publicado em 18 de março de 2024 às 16:47

O presidente Lula
O presidente Lula Crédito: Fábio Pozzebom /Agência Brasil

Em reunião ministerial, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva avisou aos integrantes do primeiro escalão que não quer que novos programas sejam anunciados pelo governo. Segundo ministro da Casa Civil, Rui Costa, o presidente cobrou foco na concretização do que já foi divulgado.

Lula já havia dado recado semelhante a esse a ministros ao longo de 2023. De acordo com Rui Costa, a ideia é evitar uma "pulverização" dos programas. Ou seja: garantir que não haja ações demais para que todas sejam executadas e divulgadas a contento. Ele deu as declarações no Palácio do Planalto ao lado do ministro Paulo Pimenta (Secom). Pimenta disse que a reunião ministerial desta segunda-feira foi de alinhamento do governo.

A primeira reunião ministerial do presidente durou cerca de 4 horas, segundo informou a Secretaria de Comunicação Social (Secom). O encontro começou por volta das 9h45. O chefe do Executivo fez pronunciamento no início, que durou cerca de 20 minutos. Em seguida, tomou a palavra o ministro da Casa Civil, que discursou por cerca de uma hora.

Lula disse que o último ano foi de "recuperação", que sabe que ainda falta muito a fazer naquilo que se comprometeu durante a campanha eleitoral e renovou críticas ao ex-presidente Jair Bolsonaro, a que chamou de "covardão" por não ter levado adiante um plano de golpe de Estado no País. O encontro ocorre diante de uma queda nos índices de popularidade do governo, registradas em pesquisas divulgadas nas últimas semanas.

"Todo mundo aqui sabe que recuperar uma coisa estragada é mais difícil do que começar uma coisa nova. Todo mundo sabe a quantidade de obras em cada área que vocês pegaram, sobretudo na Saúde", disse o presidente ao seu time. "Foi um trabalho hercúleo para recuperar tudo isso", continuou.

Reuniões ministeriais são tidas como "freios de arrumação" para o presidente alinhar seus ministros em torno dos discursos e prioridades da gestão. Os 38 ministros são convocados, e outras autoridades como líderes do governo no Legislativo também costumam participar. O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, por exemplo, desmarcou a viagem que faria à Alemanha a partir de ontem para participar da reunião.

No ano passado, Lula realizou quatro reuniões com os chefes das pastas para dar recados aos ministros. Em março de 2023, por exemplo, o chefe do Executivo deu uma bronca nos auxiliares por anunciarem propostas sem o aval da Casa Civil.

O ministro da Casa Civil, Rui Costa, disse ainda que haverá uma melhora na popularidade do governo ao longo dos próximos anos. De acordo com ele, oscilações são naturais e não causam preocupação. O ministro também afirmou que as crenças religiosas não devem ser usadas em disputas políticas. Três diferentes pesquisas de opinião indicaram queda na popularidade de Lula.

Costa falou depois de reunião ministerial no Palácio do Planalto O encontro era para mobilizar os ministros em torno da defesa da gestão de Lula, que está em momento de baixa na popularidade. Rui Costa deu entrevista a jornalistas ao lado do ministro da Secretaria de Comunicação, Paulo Pimenta.