Documentário sobre Whitney Houston estreia na Netflix

O filme Whitney: Can I Be Me relata detalhes da vida da artista como o uso de drogas e seu romance com a amiga e assistente

Publicado em 2 de setembro de 2017 às 17:15

- Atualizado há 10 meses

. Crédito: Divulgação

O documentário sobre a cantora americana Whitney Houston (1963–2012) ainda não estreou e já provoca polêmica ao relatar detalhes da vida da artista como o uso de drogas e seu romance com a amiga e assistente pessoal Robyn Crawford. O filme, dirigido por Nick Broomfield, estará disponível no catálogo da Netflix a partir deste domingo (3/9). O título, Whitney: Can I Be Me, traz o questionamento da artista sobre a possibilidade de ser ela mesma no mundo das celebridades, cercado de aparências.

Segundo cenas de bastidores e entrevistas com pessoas próximas, Whitney era profundamente afetada pela mãe, Cissy, uma mulher repressora e religiosa, que não admitia que a filha tivesse um relacionamento gay. O documentário sugere, inclusive, que, caso a matriarca tivesse outra postura, Whitney teria se entregado menos ao vício que a matou. O documetário sugere que a cantora teria sido introduzida às drogas pelos irmãos, quando criança, e que ela pode ter levado o marido, Bobby Brown, ao vício ao álcool e a substâncias mais pesadas. O casamento durou 15 anos e acabou se tornando altamente tóxico. Segundo muitos, até mortal.