Brasil é prata e bronze no Mundial de Judô; ouro fica com Riner

David Moura chega à final e Rafael 'Baby' Silva fica e 3º

Publicado em 2 de setembro de 2017 às 16:24

- Atualizado há 10 meses

. Crédito: Attila Kisbenedek / AFP Photo

O Brasil fez bonito neste sábado (2) no Mundial de Judô disputado em Budapeste e alcançou os dois postos mais altos possíveis no pódio da categoria peso-pesado. ‘Possíveis’ porque o vencedor é um homem considerado imbatível: o francês Teddy Riner.

Número 1 do ranking mundial, David Moura ficou com a medalha de prata, enquanto Rafael ‘Baby’ Silva saiu com o bronze. Riner derrotou os dois para ser campeão. Na semifinal, imobilizou Baby. O ouro só veio depois de uma luta difícil, com um ippon sobre David já no ‘golden score’.

O brasileiro ficou satisfeito com a dificuldade que impôs sobre o favorito: “Estudei muito ele. Deu tudo certo no meu estudo, mas no final... Mas eu fiz uma excelente competição e estou muito feliz com a prata. Tenho muito para evoluir e mais alguns anos para ganhar dele”.

Riner está invicto há 134 lutas, o equivalente a sete anos. Aos 28 anos, o bicampeão olímpico, conquistou ontem o seu oitavo título mundial. O último a vencer o torneio amtes da ‘era Riner’ foi o russo Aleksandr Mikhailine, em 2005, aposentado desde 2014.

Com o fim das disputas individuais, o Brasil fechou o Mundial em 4º lugar no quadro geral de medalhas. Teve um ouro (Mayra Aguiar), uma prata (David Moura) e dois bronzes (Érika Miranda e Rafael Silva).