COI descarta adiar Olimpíada do Rio por conta do vírus da zika

Médico do Comitê afirmou que não existe conversas para que a medida seja adotada. Atletas e países demostram preocupação

Publicado em 12 de fevereiro de 2016 às 08:47

- Atualizado há 10 meses

A epidemia de zika tem preocupado os atletas e organizadores dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. A competição está marcada para acontecer entre cinco e 21 de agosto deste ano e uma possibilidade de adiamento da competição chegou a ser levantada. Mas nesta quinta-feira (11), o médico do Comitê Olímpico Internacional (COI), Richard Budgett, descartou a hipótese e afirmou que não houve nenhuma conversa para que a medida fosse adotada. "Absolutamente não. Ninguém das autoridades públicas ou da Organização Mundial de Saúde, ou ministro está sugerindo que nós deveríamos considerar o cancelamento dos Jogos. A preocupação é apropriada, mas não há nenhuma restrição para viagens. As pessoas precisam tomar medidas para evitar serem picadas e ficarem sensíveis. Nossa prioridade é a proteção da saúde dos atletas. O COI não está sendo complacente. Nós estamos levando isso muito a sério. Tudo está sendo feito para conter e reduzir esse problema na preparação para os Jogos", disse Budgett à agência de notícias AP. Jogos do Rio vão ser realizados entre cinco e 21 de agosto. Atletas estão preocupados com epidemia de zikaFoto:  Tânia Rêgo/Agência BrasilA preocupação com o vírus da zika tem sido notícia no mundo esportivo. A doença, que é transmitida pelo mosquito Aedes Aegypti - também responsável pela dengue e chikungunya - se transformou no principal problema da organização dos Jogos. Atletas como a goleira americana Hope Solo e o técnico da campeã olímpica de heptatlo, Jessica Ennis, mostraram preocupação. Já os Comitês de Espanha e Quênia solicitaram informações sobre a epidemia. Campeã de vela diz ter tido sintomas após visita ao RioDepois do COI negar a possibilidade de adiar os Jogos de 2016, a atual campeã olímpica de vela, Mariana Abalau, afirmou ter tido os sintomas da zika depois de passar uma temporada no Rio de Janeiro. Espanhola esteve no Brasil em dezembro do ano passado quando ficou em terceiro lugar na Copa Brasil de Vela. Em entrevista ao jornal 'Marca', ela contou que a doença foi confirmada por sua médica. "Eu fico feliz em contar tudo isso, mas que seja para tranquilizar, já que está criando muito alarde sem sentido. Eu passei pelo vírus da zika antes do natal, durante a Copa Brasil. Minha médica disse que a era zika porque os sintomas eram precisos, embora nós ainda precisamos fazer uma análise para certificar, principalmente para saber se estou imunizada", disse ela. "No começo, eu tinha febre e apareceram manchas vermelhas por todo corpo, como quando você tem alergia a um alimento. No dia seguinte, tive dores nas articulações. Me falaram para ir ao hospital e pensei que seria melhor voltar para casa. E fiz isso. É claro que o vírus ainda não era famoso, mas a médica me disse que todos os sintomas eram de zika, mas ainda não conhecia", contou Abalau. [[saiba_mais]]