Grêmio recebe o Botafogo por vaga na semifinal da Libertadores

Tricolor precisa vencer para se classificar, já o alvinegro joga por um empate com gols

Publicado em 20 de setembro de 2017 às 07:30

- Atualizado há 10 meses

. Crédito: Lucas Uebel/Grêmio/Divulgação

O sonho de conquistar a América vai ficar mais perto para um clube brasileiro. Hoje, Grêmio e Botafogo se enfrentam às 21h45, na Arena do Grêmio, em Porto Alegre, pelo jogo de volta das quartas de final da Copa Libertadores da América. 

Como o primeiro jogo terminou empatado em 0x0, a decisão está totalmente aberta. O Botafogo joga por um empate com gols para se classificar. Um novo 0x0 leva a partida para os pênaltis. Enquanto para o Grêmio, só o triunfo interessa.

O técnico Jair Ventura faz mistério no alvinegro e só vai divulgar o time minutos antes da partida. Mas o volante Rodrigo Lindoso está confiante em começar o duelo na equipe considerada titular. 

“Fiquei chateado por não iniciar contra o Grêmio, mas foi uma opção do Jair. Jogador que está no banco não tem que ficar contente, mas cabe a mim buscar meu espaço e fazer por merecer. Cabe ao Jair decidir se começo ou não”, disse o jogador. 

Já no lado gremista, Renato Gaúcho pode ter novidades. O treinador relacionou o atacante Luan e zagueiro Pedro Geromel. Os dois se recuperam de lesões e não tem a participação no duelo garantida.  Quem está confirmado no time é o lateral-direito Edílson, recuperado de um problema na região lombar.

Santos pega o Barça Outro brasileiro que entra em campo hoje pela Libertadores é o Santos. O alvinegro recebe o Barcelona de Guayaquil, às 21h45, na Vila Belmiro, e tem a vantagem de jogar por um empate sem gols para avançar para a semifinal.

No confronto, o time santista não terá o volante Renato e o meia Lucas Lima, ambos machucados. No lugar deles, Levir Culpi deve escalar Vecchio, como segundo volante, e Jean Mota, como armador, mais avançado. 

O argentino, pediu inteligência da equipe santista para garantir a classificação sobre os equatorianos. “O Barcelona é fisicamente um time muito forte, rápido, mas a inteligência ganha da força. Temos jogadores inteligentes para fazer correr a bola rápido. É um time que marca e faz muitas faltas, respeitamos, mas jogamos em casa, o Santos tem a sua história e vamos respeitá-la amanhã”, analisou Vecchio.