Domingues sente a coxa e adia estreia no Vitória; Alípio e Marinho jogam

Jogo do Leão pelo Campeonato Baiano contra o Jacobina acontece no Barradão, às 17h

Publicado em 21 de fevereiro de 2016 às 09:48

- Atualizado há 10 meses

O Vitória terá que se concentrar em outro  protagonista para o jogo de hoje, contra o Jacobina, no Barradão, às 17h. A festa estava armada, torcida na ânsia de matar a saudade do xodó Leandro Domingues e todos com as atenções voltadas para a estreia do meia. Mera frustração. Na véspera do duelo, o atleta sentiu  um desconforto no adutor da coxa direita enquanto treinava cobrança de pênalti. Marinho, com a bola, vai para o jogo de hoje contra o Jacobina. Já Leandro Domingue acabou vetado pelo departamento médico do clube após sentir uma dor no adutor depois do treino(Foto: Francisco Galvão/EC Vitória/Divulgação)O técnico Vagner Mancini parecia prever o pior. No final do treino, vendo a situação, o treinador resolveu colocar o garoto David na lista de concentrados. Foi certeiro. Segundo os médicos do clube, o veto de Domingues foi mais precaução que preocupação. “O departamento médico optou por adiar a reestreia do atleta, por estar há um longo período afastado dos gramados e para não oferecer nenhum risco para o restante da temporada”, informou o Vitória no site oficial. Para o lugar de Domingues no time titular, entra Alípio.Sem a ilustre presença  do prata da casa, o protagonista mudou de camisa. O atacante Marinho retoma o posto de ator principal do Leão. Com a bruxa solta, o Vitória não confirmou presença, mas o próprio atleta se diz recuperado de uma pancada no joelho. Pelo Instagram, o zagueiro Guilherme Mattis postou uma foto treinando ao lado de Marinho na academia. 

AdiadoNa última sexta, Mancini não escondia a ansiedade em ter Domingues à disposição. Mas já alertava sobre a condição física do meia, inclusive pedindo paciência ao torcedor. Há um ano, o meia fez uma cirurgia no joelho e só jogou três vezes em 2015. No ano anterior, apenas 19 partidas.“O torcedor, às vezes, analisa o atleta da última passagem e a última vez que viu ele jogar aqui. A gente tem que ter um pouco de calma. Ele está voltando. São sete, oito anos (longe do clube), agora mais velho, mais experiente. Hoje, a gente vai ver um atleta diferente dentro de campo, mais experiente, que aprendeu muito lá fora”, analisou Mancini.  

“Nenhum atleta é o mesmo de ano em ano. Há uma mudança significativa. É um atleta que pode decidir partidas, enfiar uma bola, enxergar um lance diferente. Eu sei que ele é um ídolo no Vitória e por isso mesmo a paciência tem que existir. É um recomeço para ele”, completou.