SENTENÇA

Mulher acusada de cortar pênis do marido é condenada a quatro anos de prisão

Daiane cortou o pênis do marido após descobrir que o homem havia tido relações com a sobrinha dele, de apenas 15 anos

  • Foto do(a) author(a) Da Redação
  • Da Redação

Publicado em 16 de maio de 2024 às 11:54

Daiane dos Santos Farias e Gilberto Nogueira de Oliveira
Daiane dos Santos Farias e Gilberto Nogueira de Oliveira Crédito: Reprodução

Daiane dos Santos Farias, de 34 anos, acusada de arrancar o pênis do marido e jogar na privada, foi condenada a 4 anos, 8 meses e 20 dias prisão. O crime aconteceu em Atibaia, no estado de São Paulo. A pena será cumprida em regime fechado.

Daiane já está presa há cerca de cinco meses e durante o período, reatou a relação com o marido, Gilberto Nogueira de Oliveira, de 39 anos, vítima da agressão.

A mulher responde pelo crime de lesão corporal gravíssima. Segundo o jornalista Ulisses Campbell, do blog True Crime no jornal O Globo, Daiane poderia ter sido julgada por tentativa de homicídio, cuja poderia chegar a 30 anos. Já o crime de lesão corporal possui pena entre 2 e 8 anos.

No caso de Daiane, os agravantes que aumentaram a pena base recebida pela juíza (de 2 anos, 8 meses e 28 dias de prisão) foram: o meio cruel; o motivo fútil; e a impossibilidade de defesa da vítima. Com asa extensões, a sentença atingiu os 4 anos, 8 meses e 20 dias.

Apesar da sentença mais branda, a advogada de Daiana afirmou que vai recorrer na justiça para reduzir a pena. “Também vou insistir na aplicação do regime semiaberto, conforme previsão legal. De todo modo, foi um excelente resultado. A pena foi justa", disse.

Relembre o caso

O crime foi motivado por ciúmes. Daiane cortou o pênis do marido após descobrir que o homem havia tido relações com a sobrinha dele, de apenas 15 anos, na cama do casal, no dia do aniversário de Daiane.

Quando descobriu o caso, Daiane planejou sua vingança: comprou uma lingerie nova e seduziu o marido. Durante o ato, ela imobilizou Gilberto prendendo seus braços na cabeceira da cama e cortou seu pênis com uma navalha. Após lesionar o marido, ela tirou uma foto do órgão, enviou em um grupo de whatsapp, da familía do rapaz, jogou-o na privada e apertou a descarga, sob a justificativa que não pudesse ser reimplantado.

Em seu depoimento, Gilberto se afirmou culpado de toda a situação e decidiu retomar o relacionamento com a esposa em março deste ano. "A culpa foi toda minha. Eu não poderia ter traído a minha esposa com a minha sobrinha. Ela não merecia isso", disse.