Táxis transportam mais de 21 mil passageiros no segundo dia de Carnaval e Salvador

Em balanço oficial do segundo dia, prefeito ACM Neto considera positivos números do transporte na folia

Publicado em 5 de fevereiro de 2016 às 15:03

- Atualizado há 10 meses

Os mais de 5 mil táxis que operam no segundo dia de Carnaval em Salvador transportaram mais de 21 mil foliões. O número é 40% maior do que os 15 mil registrados na quinta-feira de Carnaval de 2015, de acordo com o prefeito ACM Neto (DEM). O secretário municipal da Mobilidade, Fábio Mota, disse que esse é um reflexo do fato de as pessoas terem ido menos de carro à folia esse ano.

VEJA TUDO O QUE ESTÁ ROLANDO NO CARNAVAL

Em balanço divulgado nesta sexta-feira (5), após a segunda reunião diária do Carnaval de 2016, o prefeito voltou a dizer que a operação da festa tem transcorrido com tranquilidade e que não foram necessários novos ajustes desde os já aplicados. “A operação foi considerada realmente bastante exitosa, mas ainda vamos aperfeiçoar a questão dos pontos de ônibus da Centenário, principalmente no Calabar”, disse Neto.

BAIXE O FAROL: O APLICATIVO QUE VAI TE GUIAR NO CARNAVALNo segundo dia de festa, foram transportados 1,346 milhão de pessoas nos sistemas de transporte público – os ônibus, os táxis e o Expresso Salvador. O Expresso, inclusive, triplicou o número de passageiros transportados com relação ao ano passado. De acordo com o secretário Fábio Mota, da Secretaria Municipal da Mobilidade (Semob), foram 2.800 pessoas transportadas pelo Expresso somente na quinta-feira.

Apreensões

Apesar de as pessoas terem usado mais o transporte público e ido menos de carro aos circuitos, a Superintendência de Trânsito do Salvador (Transalvador) apreendeu, nos dois primeiros dias de festa, 81 veículos – foram 13 na quarta-feira, 3, e mais 68 na quinta, 4.

O superintendente da Transalvador, Fabrizzio Muller informou que os veículos removidos estão sendo levados para os pátios dos Barris, da Vasco da Gama e, em alguns casos, de Mussurunga. Dos 13 veículos removidos na quarta-feira, 10 foram para o pátio dos Barris e três para o da Vasco da Gama.

Para reaver o veículo apreendido, o proprietário precisa comparecer à Gerência de Trânsito (Getran), nos Barris, com documento original com foto e documento do veículo atualizado. Além disso, é preciso pagar uma taxa de R$ 309,17 pelo reboque, além de R$ 49,48 por dia de permanência no pátio da Transalvador. A Getran vai funcionar todos os dias do Carnaval, das 8h às 18h.

A maior parte das remoções de veículos aconteceu por estacionamento em local indevido, como calçadas, canteiros ou em espaços em que havia placas de proibido estacionar. A Transalvador não soube informar em qual circuito aconteceu a maior parte das remoções.

Atendimentos

Já os atendimentos nos módulos de saúde da festa apresentaram um aumento de 25% em relação ao segundo dia de festa do ano passado. De acordo com números apresentados na reunião de balanço desta sexta-feira (5), no Campo Grande, foram 437 ocorrências entre as 18h de quinta-feira e as 6h desta sexta, contra 350 atendimentos no mesmo período do ano passado.

Segundo o secretário de Saúde José Antônio Rodrigues, 91 dos 437 casos foram agressões físicas, como socos, a maior parte dos casos na Barra. Mas os casos de intoxicação por álcool e de cefaleia ainda lideram o número de atendimentos. Do total, foram 141 atendimentos no posto do Farol da Barra, 67 na Adhemar de Barros (Ondina), 61 na Piedade e 49 no posto do Espanhol.

A Guarda Municipal e a Secretaria Municipal de Ordem Pública (Semop) apreenderam 838 objetos considerados armas brancas, como espetinhos, facas, barras de ferro, tesouras e martelos.

A Semop apreendeu ainda 3.256 objetos irregulares, 33 litros de bebida em recipientes de vidro, 2.944 bebidas em lata e alimentos perecíveis acondicionados indevidamente, 75 caixas de isopor, quatro fogões, uma geladeira e outros utensílios domésticos. Desde o primeiro dia de Carnaval, foram apreendidos 4.534 itens.