Alemanha estreia na Euro com goleada de 5x1 sobre a Escócia

Donos da casa estrearam com o pé direito no torneio europeu

  • Foto do(a) author(a) Estadão
  • Estadão

Publicado em 14 de junho de 2024 às 18:27

Alemanha Euro
Musiala comemora primeiro gol na Euro e passeio da Alemanha Crédito: Divulgação/Uefa

A Alemanha abriu a Eurocopa com vitória por 5 a 1 contra a Escócia pelo Grupo A, na Allianz Arena. A apreensão da torcida alemã pelos fracassos nos dois últimos mundiais foi respondida pelos jovens jogadores do time, que mostraram o potencial de mudança que eles carregam junto ao trabalho de Julian Nagelsmann Apesar da festa dos escoceses nas arquibancadas e nas ruas de Munique, o time tentou basear-se em uma retranca, o que evidenciou as deficiências defensivas, as quais só não são piores que a inatividade do ataque.

A disparidade entre as equipes foi evidenciada com menos de um minuto, quando Rüdiger lançou, e Wirtz teve a primeira chance, mas não conseguiu finalizar. Contra uma Escócia ainda de marcação compacta, lançamentos como esse passaram a ser a "jogada cantada" da Alemanha. Kroos se posicionava com a bola como se fosse um quarterback de futebol americano e levantava a cabeça para buscar o companheiro mais bem posicionado à frente.

Progressivamente, a Alemanha conseguiu investir mais em trocas de passes, dada a ineficiência de lançamentos. A dúvida era se a Escócia conseguiria suportar o sofrimento e a intensidade de se defender fechando tantos espaços. Wirtz tinha a resposta. O atacante, destaque do Bayer Leverkusen campeão alemão, conseguiu ficar sozinho entre as duas primeiras linhas escocesas. Kimmich o encontrou, e o camisa 17 chutou de fora da área. O goleiro Gunn ainda tocou na bola antes que ela entrasse. Havertz foi facilitador no lance. Escalado como centroavante, o meia do Chelsea puxou a marcação para dentro da área.

A Escócia mal tocava na bola. Quando tinha a posse, o time não apresentava opções ofensivas e sofria rápidas pressões dos alemães. O 1 a 0 não seria de todo mal para a equipe escocesa, enquanto seleção mais fraca do Grupo A. Faltou combinar com os alemães. Gündogan girou contra a marcação e lançou para Havertz, que, na área, cortou o zagueiro Porteous e entregou no pé de Musiala. Um petardo do camisa 10 estufou as redes pela segunda vez na Allianz Arena.

O time do técnico Steve Clarke só conseguiu tocar na bola dentro da área alemã aos 37 minutos do primeiro tempo, quando teve uma falta no campo ofensivo. Ainda assim, foi apenas uma escorada de cabeça para ninguém. A partida continuou monótona, com a regência da Alemanha. O que quebrou o ritmo foi a entrada desleal de Porteous em Gündogan dentro da área, o que rendeu expulsão para o zagueiro e pênalti, cobrado por Havertz para o terceiro gol.

O time escocês voltou para o segundo tempo sem o atacante Adams. Steve Clarke recompôs a defesa com Hanley para cobrir o espaço deixado por Porteous. O meia Christie passou a ser o homem mais a frente do time escocês, mas sem companhia alguma, quando recebeu a bola.

A Alemanha pôde seguir em ritmo de treino, com trocas de passes em busca do ataque. Isso abriu mais espaços na defesa. Mesmo sem centroavante, a Escócia ensaiou saídas em contra-ataque, mas que não eram facilmente cobertos pelos defensores alemães.

Entre os passes trocados pelos alemães, Musiala se destacou com um futebol plástico. A dupla do camisa 10 com Wirtz não sentiu o peso da estreia no torneio. Os dois ainda precisam ser testados em jogos mais duros, o que vai acontecer no decorrer da competição. Entretanto, tudo indica que ambos têm capacidade de não sofrer intimidações e demonstrar personalidade no jogo.

Nagelsmann fez alterações protocolares. Uma delas foi o centroavante Fullkrug no lugar de Havertz. O camisa 9 mostrou as características de goleador e marcou o quarto em um chute que atingiu 110 km/h, após jogada de Musiala.

Nos raros momentos em que a Escócia teve a posse a frente do meio de campo, os jogadores da Alemanha tinham dificuldade em não desmontar o posicionamento tático na tentativa de pressionar Contra uma equipe mais qualificada, os espaços abertos desta forma podem ser fatais. Próximo do fim, Robertson cobrou falta na área alemã. Tão inerte quanto no restante do jogo, a Escócia contou com o zagueiro Rüdiger para encobrir Neuer e descontar. Apesar do gol, o time escocês terminou sem finalizações.

Antes de fechar a conta, os alemães continuavam a trocar passes. Da entrada da área Can quis deixar o seu e finalizou colocado de fora da área, sem chances para Gunn.

A Alemanha tenta superar o trauma das eliminações nas fases de grupos na Rússia, em 2018, e no Catar, em 2022, além da derrota para a Inglaterra nas oitavas de final da Eurocopa 2020. E faz isso ao mirar o título europeu em 2024. Já a Escócia faz jus à herança de ter sido lanterna do grupo na última edição e sem vencer nenhum jogo, o que não é difícil de se repetir neste ano

Os anfitriões voltam a campo na quarta-feira, contra a Hungria, às 13h (horário de Brasília), na Arena Stuttgart. Já os escoceses encaram a Suíça, em Colônia, na mesma data, mas às 16h