Bahia chega a dez jogos de invencibilidade e quebra jejum que durava quatro anos

Esquadrão se prepara para as finais do Campeonato Baiano

  • Foto do(a) author(a) Da Redação
  • Da Redação

Publicado em 25 de março de 2024 às 15:45

Jean Lucas e Ademir
Bahia vive boa fase na Copa do Nordeste e mira o título do Campeonato Baiano Crédito: Letícia Martins/EC Bahia

O triunfo por 1x0 sobre o Maranhão, na Fonte Nova, fez o Bahia alcançar a liderança geral da Copa do Nordeste. Faltando uma rodada para o fim da primeira fase, o tricolor tem 18 pontos e não pode mais ser alcançado por nenhuma outra equipe. Além disso, o clube baiano quebrou uma marca que durava quatro anos. Desde 2020, o time não ostentava uma invencibilidade de dez partidas.

Desde a derrota por 3x2 para o Vitória no clássico disputado no dia 18 de fevereiro, no Barradão, o Bahia emplacou uma sequência sem perder. Foram nove triunfos e um empate, contra o Caxias, por 2x2, pela Copa do Brasil. O time baiano levou a melhor nos pênaltis, eliminou a equipe gaúcha e avançou à terceira fase da competição nacional.

No período invicto, o Esquadrão derrotou: Moto Club, Juazeirense, CRB, Jacuipense, Ceará, Jequié (duas vezes), Vitória e Maranhão.

A última vez que o Bahia conseguiu se manter invicto por dez jogos foi em 2020. Porém, em parte da campanha o clube utilizou uma equipe sub-23 no Campeonato Baiano. Somando com as partidas do time principal na Copa do Nordeste, foram nove jogos sem perder (sete vitórias e dois empates), até a paralisação das competições por conta da pandemia da covid-19.

Quando os campeonatos voltaram, o tricolor venceu o Náutico, por 4x1, em Pituaçu, pelo Nordestão, e chegou aos dez jogos invicto, mas um dia depois quebrou a sequência ao cair para o Atlético de Alagoinhas, por 1x0, no Carneirão, pelo estadual.

Já a última vez que o clube conseguiu marca semelhante utilizando exclusivamente o time principal foi em 2017. Sob o comando de Guto Ferreira, o Bahia ficou sem perder nos 11 primeiros jogos, foram sete vitórias e quatro empates entre o Campeonato Baiano e a Copa do Nordeste.

A invencibilidade caiu no confronto com o Paraná, pela Copa do Brasil. No estádio Durival de Britto, a equipe baiana perdeu por 2x0 e foi eliminada na primeira fase.

Este ano, o Bahia tem um aproveitamento de 78,3%. Em 20 jogos, foram 15 triunfos, dois empates e três derrotas. Se apenas o desempenho da equipe treinada por Rogério Ceni for levado em consideração, o rendimento sobe para 85,1%.

Como o tricolor usou o time alternativo nos dois primeiros jogos do estadual, a equipe titular disputou 18 partidas, venceu 15, empatou uma e perdeu duas.

Na Copa do Nordeste, a única derrota do Esquadrão foi para o River-PI, 1x0, fora de casa. Na quarta-feira (27), a equipe fecha a primeira fase contra o Botafogo-PB, no estádio Almeidão, em João Pessoa.

“Aquilo [contra o River] não foi um tropeço, é impossível jogar lá. Para um time que coloca a bola no chão e quer jogar, aquelas situações não permitem avaliação. Você pode ganhar ou pode perder, não vai ter futebol bonito, mesma coisa contra o Juazeirense”, disse Rogério Ceni.

Depois da partida contra o Botafogo-PB, na qual cumprirá tabela, o Bahia terá pela frente três decisões. Encara o Vitória no clássico pelo final do Campeonato Baiano. O jogo de ida será neste domingo (31), no Barradão, e a volta no domingo (7), na Fonte Nova.

No dia 10 ou 11 de abril, o Esquadrão entrará em campo pelas quartas de final da Copa do Nordeste. O adversário ainda será definido, mas o clube baiano tem a vantagem de jogar em casa no confronto em jogo único.