Bahia sofre gol do São Paulo nos acréscimos e segue no Z4 do Brasileirão

Esquadrão estava fora da zona de rebaixamento até os 51 minutos do segundo tempo, até Caio Paulista marcar para o rival em plena Arena Fonte Nova

Publicado em 29 de novembro de 2023 às 22:21

Cauly lamenta lance no jogo entre Bahia e São Paulo
Cauly lamenta lance no jogo entre Bahia e São Paulo Crédito: Paula Fróes/CORREIO

O clima estava à favor do Bahia. Confiança em alta após golear o Corinthians, rival com péssima campanha como visitante no Brasileirão e Arena Fonte Nova lotada, com todos os ingressos vendidos. Mas, mesmo diante de mais de 46 mil torcedores presentes, o Esquadrão decepcionou. Foi surpreendido com gol de Caio Paulista no apagar das luzes e acabou derrotado por 1x0 pelo São Paulo, na noite desta quarta-feira (29), pela 36ª rodada da Série A.

O resultado foi péssimo para o Tricolor de Aço. Com o empate, o time do técnico Rogério Ceni ficaria fora da zona de rebaixamento. Mas ao sofrer o gol, aos 51 minutos do segundo tempo, retornou para o Z4. Assim, se mantém na 17ª colocação, com os mesmos 41 pontos - um a menos do que o Vasco, o primeiro fora da área da degola. O São Paulo, por sua vez, conseguiu sua primeira vitória como visitante no torneio neste ano.

A próxima rodada será a última do Bahia como visitante neste Brasileirão. O time visitará o já rebaixado América-MG no estádio Independência, em Belo Horizonte, no domingo (3), às 16h. Yago Felipe será ausência, suspenso pelo terceiro cartão amarelo. Depois, o Esquadrão volta à Fonte Nova para encerrar sua participação nesta edição do campeonato, diante do Atlético-MG.

O jogo

Para enfrentar o São Paulo, o técnico Rogério Ceni optou por repetir o mesmo time que goleou o Corinthians na rodada anterior, com três zagueiros e e sem um centroavante de referência. Everaldo, que voltou a ficar à disposição após cumprir suspensão, iniciou entre os reservas.

O Bahia começou o jogo acelerado, querendo pressionar o rival. Mas não demorou muito para o São Paulo passar a ocupar mais o campo de ataque, conseguindo trabalhar bem as jogadas diante de um Esquadrão com dificuldade de imprimir força ofensiva.

Foi o visitante, inclusive, quem criou a primeira chance real de abrir o placar: aos 6 minutos, Michel Araújo tabelou com Juan, que devolveu de calcanhar. O uruguaio ficou cara a cara com Marcos Felipe e finalizou, mas o goleiro do Esquadrão fez grande defesa e salvou.

O arqueiro voltou a aparecer aos 9 minutos, após Rafinha acionar Lucas em profundidade dentro da área. O atacante tentou driblar Marcos Felipe, mas acabou desarmado. 

Pouco depois, a partida ficou paralisada por cinco minutos, após refletores do estádio estourarem e cacos de vidro caírem no gramado. Na retomada, o Bahia equilibrou. Passou a subir para pressionar a marcação, conseguiu ficar um pouco mais com a bola e começou a incomodar. Aos 19 minutos, após boa jogada pela direita, Acevedo encontrou Thaciano dentro da área. O chute do camisa 16, porém, para na marcação e sobra para Rafael.

Depois disso, o jogo caiu de intensidade. O São Paulo ia trabalhando a posse de bola, mas sem evoluir. Até que uma lambança do Bahia quase deu um presente ao visitante: Pablo Maia lançou para Wellington Rato, e Luciano Juba interceptou, tirando o goleiro Marcos Felipe do lance. Para a sorte do anfitrião, bola saiu pela linha de fundo.

Já nos acréscimos, o Esquadrão teve sua melhor chance da etapa inicial: Cauly recebeu de Biel e, em boa condição, tentou finalizar de cavadinha, tocando na saída do goleiro Rafael. Mas a bola foi para fora. Por muito pouco, o Bahia não saia na frente no placar.

O segundo tempo começou com muitas trocas de passe, principalmente do lado do São Paulo, mas com as equipes mostrando dificuldade de jogar de forma mais vertical. Aos 6 minutos, Lucas recebeu na direita e cruzou para a área, mas a zaga do Bahia afastou. Wellington Rato ficou com a sobra e tentou a finalização, sendo bloqueado. Aos 11, Lucas cobrou falta, por cima do gol.

Com o Bahia apresentando pouca agressividade no ataque, o técnico Rogério Ceni fez a primeira mudança. Colocou Everaldo no lugar de Yago Felipe, voltando a ter um centroavante de referência. A troca funcionou, e a equipe passou a ocupar mais o campo de ataque, incomodando o São Paulo. Aos 12, após tabelar com Gilberto, Cauly cruzou de perna esquerda, e Everaldo se esticou todo para tentar de carrinho, mas não alcançou a bola.

Seis minutos depois, o São Paulo perdeu a bola e, no contra-ataque, Gilberto chutou de primeira, mas Rafael encaixou. O rival respondeu na sequência: Wellington Rato ajeitou para Juan, que fez o pivô e rolou para Michel Araújo. O uruguaio bateu firme, assustando a torcida do Tricolor de Aço.

Aos 22, o Bahia voltou a aparecer com perigo. Em um lance em velocidade, Cauly tocou para Biel, que encontrou Everaldo. O centroavante apenas ajeitou para Thaciano chutar firme, mas o goleiro adversário defendeu.

A partida seguiu animada. Aos 27, foi a vez do São Paulo assustar: Welington cruzou com perigo, e Marcos Felipe tirou de soco. Alisson ficou com a sobra e finalizou, mas o goleiro fez grande defesa e salvou de novo o Bahia. Logo depois, em contra-ataque em velocidade, Cauly deixou Biel de frente pro gol, mas o camisa 10 demorou para finalizar e teve o chute travado.

O Esquadrão continuou com boas oportunidades de gol. Aos 38, Lucas Mugni cobrou falta fechada, mas Rafael fez boa defesa e espalmou para escanteio. Dois minutos depois, Ademir passou por dois marcadores e finalizou colocado, de canhota, também sem sucesso.

No fim, quem marcou foi o São Paulo. Caio Paulista ganhou da marcação, invadiu a área, cortou para a esquerda e finalizou firme, de canhota, para garantir a vitória do rival em plena Arena Fonte Nova, aos 51 minutos. 

FICHA TÉCNICA

Bahia 0x1 São Paulo - 36ª rodada do Campeonato Brasileiro

Bahia: Marcos Felipe, Kanu, Vitor Hugo e Rezende; Gilberto, Acevedo, Yago Felipe (Everaldo), Thaciano (Ademir), Cauly (Rafael Ratão) e Luciano Juba (Camilo Cándido); Biel (Lucas Mugni). Técnico: Rogério Ceni.

São Paulo: Rafael, Rafinha, Arboleda, Beraldo e Welington (Caio Paulista); Pablo Maia, Alisson, Wellington Rato (Nathan Mendes) e Michel Araújo (David); Lucas (Luciano) e Juan (Talles Costa). Técnico: Dorival Júnior.

Estádio: Arena Fonte Nova

Gol: Caio Paulista, aos 51 minutos do segundo tempo

Cartão amarelo: Yago Felipe, Kanu, Rafael Ratão e Lucas Mugni, do Bahia; Beraldo e Talles Costa, do São Paulo;

Público: 45.756 pagantes

Arbitragem: Braulio da Silva Machado, auxiliado por Alex dos Santos e Thiaggo Americano Labes (trio de Santa Catarina).

VAR: Daniel Nobre Bins (RS).