RETORNO PROJETADO

Ceni explica situação de Cuesta e valoriza atuação do Bahia fora de casa

Tricolor bateu o Botafogo e agora é o vice-líder do Brasileirão

  • Foto do(a) author(a) Da Redação
  • Da Redação

Publicado em 6 de maio de 2024 às 13:57

VICTOR CUESTA
Após cirurgia no nariz, Cuesta ficou no banco contra Criciúma e Botafogo Crédito: Tiago Caldas /EC Bahia

O Bahia voltou do Rio de Janeiro com um grande resultado na bagagem. O triunfo por 2x1 sobre o Botafogo, no Engenhão, neste domingo (5), deixou o tricolor na vice-liderança no Brasileirão. O Esquadrão está empatado com o líder Athletico-PR, ambos com 10 pontos, mas é superado no saldo de gols (4 contra 2). Como tem feito desde o início do Brasileirão, o técnico Rogério Ceni manteve a base da equipe e voltou a formar a dupla de zaga com Kanu e Gabriel Xavier, mesmo tendo Cuesta à disposição no banco pelo segundo jogo consecutivo. Após o confronto, o treinador foi questionado sobre a decisão e explicou a situação do argentino.

“A manutenção [de Kanu] se deve muito em função da velocidade do Botafogo, que é um time que ataca muito as costas da última linha. E para esse jogo, nós decidimos pela velocidade. No próximo domingo, o Cuesta está de volta, vamos analisar a semana de trabalho. Os três são super importantes para mim, todos os que estão no elenco”, disse.

Rogério Ceni também valorizou a atuação do Bahia fora de casa. Apesar da oscilação que o time sofreu dentro da partida, o treinador apontou que os jogadores se comportaram como treinaram durante a semana e como costumam fazer nos jogos na Fonte Nova.

“Enquanto não fizemos o gol, jogamos da maneira como treinamos todos os dias. A perda de intensidade eu acho que é algo mais psicológico do que falta de força. Não faltou competitividade, mas às vezes falta um pouco de calma pra jogar o mesmo jogo, antes e depois do gol. É uma coisa que nós temos que melhorar", disse ele, antes de completar:

“É lógico que o adversário se motiva, precisa pressionar mais, mas é algo que, com o passar do tempo, eu acho que é muito mais mental, psicológico do que com outra coisa, porque mudou radicalmente o estilo da gente jogar. Começamos a rifar muita bola, tudo ao contrário que nós fizemos praticamente no primeiro tempo todo. O que nós precisamos melhorar é jogar o 0x0 do mesmo jeito que se joga o 1x0”.

O próximo compromisso do Bahia no Brasileirão será mais um duelo direto na parte de cima da tabela. No domingo (12), o Esquadrão recebe o Red Bull Bragantino, às 18h30, na Fonte Nova. O time paulista é o 5º colocado, com nove pontos.