DESTAQUE NO ATAQUE E NA DEFESA

Referência técnica do Bahia, Everton Ribeiro assume "nova função" e lidera em desarmes na Série A

Camisa 10 celebrou boa fase e ganhou elogios de Rogério Ceni

  • Foto do(a) author(a) Da Redação
  • Da Redação

Publicado em 15 de maio de 2024 às 17:02

Everton Ribeiro
Aos 35 anos, Everton Ribeiro tem chamado a atenção pela ajuda defensiva no Brasileirão Crédito: Tiago Caldas/EC Bahia

Um dos pilares do Bahia em 2025, Everton Ribeiro mostra na carreira que construiu no futebol o motivo de ser uma das referências técnicas do Esquadrão. Acostumado a marcar gols e dar assistências aos companheiros, o meia está se destacando por outra qualidade no tricolor: a marcação.

Depois de seis jogos no Campeonato Brasileiro, o camisa 10 do tricolor aparece como líder de desarmes da competição. Ele está empatado com o lateral Lucas Piton, do Vasco, e o volante Otávio, do Atlético-MG, todos com 11 desarmes.

Levando em consideração a média, Everton fica na segunda colocação, junto com Lucas Piton, ambos com 1,83 desarmes por jogo. Otávio lidera a estatística, com 2,2 desarmes, pois conseguiu o feito tendo disputado cinco jogos.

Durante entrevista no CT Evaristo de Macedo, nesta quarta-feira (15), no CT Evaristo de Macedo, Everton Ribeiro falou sobre a nova função que vem fazendo no Bahia e afirmou que se entrega ao máximo para que o clube conquiste os resultados.

“Sempre prezei pelo bem do grupo, o que o time está precisando do momento. Nosso time é leve, gosta de ter a bola, mas que para isso quem tiver em campo tem que se desdobrar na hora da marcação, para que a gente tenha mais posse, e é isso que eu tenho tentado fazer, ajudar meus companheiros na marcação”, afirmou.

A dedicação do meia na marcação já havia sido exaltada por Rogério Ceni após o jogo contra o Red Bull Bragantino, vencido pelo Bahia por 1x0, na Fonte Nova. De acordo com o treinador, o jogador de 35 anos dá o exemplo para que os outros jogadores doem taticamente.

Everton Ribeiro
Everton Ribeiro é um dos pilares do time do Bahia Crédito: Tiago Caldas/EC Bahia

"Se o Everton [Ribeiro] entrega tudo que pode na marcação, todos têm que entregar. É a liderança pelo exemplo. É difícil encontrar um oito, que é a função que o Everton joga e gosta de jogar. O Everton jogar aberto é muito difícil. É difícil ter um oito da qualidade técnica dele. Enquanto esse time comprar a ideia que a parte defensiva é essencial...Se pararmos na parte defensiva, não vamos conseguir brilhar. Se tivermos coesão defensiva, é onde a gente tem chance de conseguir boas posições no campeonato", explicou o treinador.

As ideias de jogo aplicadas por Rogério Ceni têm dado certo. O Esquadrão começou bem o Brasileirão e é o atual vice-líder, com a mesma pontuação do líder Athletico-PR. O time conquistou 13 dos 18 pontos disputados e, somando os resultados da Copa do Brasil, está invicto há cinco partidas.

“Acreditar no que o Rogério vem passando. Posicionamento, subida de linha, como pressionar o adversário. A gente vem colhendo o resultado, colhendo o que plantamos e temos que manter, porque o caminho é longo”, pontuou o jogador.

Na parte ofensiva, Everton Ribeiro também tem conseguido destaque. Em 24 jogos, marcou quatro gols e deu quatro assistências. Além disso, tem participação direta em ações que terminaram em chances de gol. Foi ele, por exemplo, que puxou o contra-ataque que deu ao Bahia o triunfo na última rodada do Brasileirão.

Dentro do elenco tricolor, ele é o segundo jogador de meio-campo com mais passes certos no Brasileirão, com 204. Everton fica atrás apenas de Caio Alexandre, que tem 262. O meia celebra a boa fase e diz que tem recebido o carinho da torcida durante os jogos.

“Está sendo, desde que coloquei o pé em Salvador, uma experiência muito emocionante, me receberam muito bem. Conseguiram me passar o que é esse sentimento pelo Bahia, esse grande clube, isso me motiva a dar o meu máximo, fazer grandes jogos. A gente se dedica muito para quando chegar no jogo fazer um jogo bonito e principalmente com resultados positivos”, finalizou.