3 perigos da perda de peso rápida

3 perigos da perda de peso rápida

Médica explica sobre os prejuízos das dietas extremamente restritivas

  • Foto do(a) author(a) Portal Edicase
  • Portal Edicase

Publicado em 9 de abril de 2024 às 17:25

Imagem Edicase Brasil
Perda de peso acelerada causa diversos problemas à saúde (Imagem: Prostock-studio | ShutterStock) Crédito:

A perda de peso rápida é um desejo comum entre muitas pessoas que querem emagrecer. No entanto, esse caminho nem sempre é tão benéfico quanto parece à primeira vista. Existem diversos perigos associados que podem impactar negativamente a saúde física, mental e emocional, como indica, a seguir, a nutróloga Dra. Ana Luísa Vilela, especialista em emagrecimento. Veja!

1. Desnutrição

Ao tentar perder peso muito rapidamente, muitas pessoas recorrem a dietas extremamente restritivas, que podem resultar em deficiências de vitaminas, minerais e outros nutrientes essenciais. “Isso pode levar a uma série de problemas de saúde, como fraqueza muscular causada pela perda de músculos que não é saudável, pois os músculos são importantes para o metabolismo e a força geral do corpo”, alerta a médica.

Imagem Edicase Brasil
O efeito sanfona é um dos prejuízos associados à perda de peso rápida (Imagem: Ahmet Misirligul | Shutterstock) Crédito:

2. Efeito sanfona

Além dos perigos fisiológicos para a saúde, a perda de peso sem o devido acompanhamento não é eficaz já que aumenta as chances do chamado ‘efeito sanfona’ , que é o ciclo de perda e ganho de peso que, além de ser prejudicial à saúde, torna mais difícil perder peso no futuro.

3. Estresse emocional

A Dra. Ana Luísa Vilela explica que as dietas extremamente restritivas e com alta ingesta de medicações desordenadas podem ainda causar estresse emocional e mental, levando a problemas como ansiedade, depressão, distúrbios alimentares e uma relação negativa com a comida.

“Perder peso de maneira saudável é possível e sem fazer loucuras. Não existe milagre, o que perde fácil pode voltar fácil também e ainda aumentar o risco de complicações como problemas cardíacos, cálculos biliares, entre outros”, finaliza a médica.

Por Mayra Barreto Cinel