Edicase Brasil

4 dicas para treinar o cachorro para levar as alianças no casamento

Especialista elenca técnicas para você integrar o seu animal de estimação na cerimônia

  • Foto do(a) author(a) Portal Edicase
  • Portal Edicase

Publicado em 6 de maio de 2024 às 10:28

Imagem Edicase Brasil
Com treinamento, incluir os cachorros na cerimônia de casamento se torna uma tarefa simples (Imagem: Deep_Mind | Shutterstock) Crédito:

Quando se trata de casamento, cada detalhe é planejado detalhadamente para criar memórias inesquecíveis, seja para os noivos ou para os convidados. A entrada das alianças, por exemplo, é um momento emocionante. E ele pode se tornar ainda mais especial se for feito pelo cachorro do casal. Por isso, abaixo, Wagner Brandão, comportamentalista animal, explica como começar a treinar o seu animal de estimação para a ocasião!

1. Comece o treinamento com antecedência

Não deixe o treinamento para a última hora. Comece a preparar seu cachorro para o papel no casamento com pelo menos algumas semanas de antecedência. Isso dará tempo suficiente para que ele se acostume com o ambiente e as novas atividades. “Se o casal tem o sonho de trazer seu cachorro para a cerimônia, eles precisam ter em mente de que é uma tarefa que demanda muitos dias de treinamento e paciência. Mas não é impossível”, diz o especialista.

2. Treine regularmente

Estabeleça uma rotina de treinamento consistente e dedique tempo todos os dias para trabalhar com seu cachorro. Use reforço positivo, como petiscos e elogios, para incentivar o bom comportamento.

Imagem Edicase Brasil
Expor o Crédito:

3. Pratique em diferentes ambientes

Exponha seu animal a diferentes ambientes e situações para ajudá-lo a se sentir confortável em qualquer lugar durante a cerimônia. Isso inclui praticar em casa e, principalmente, no local da cerimônia.

4. Consulte um profissional

Nem todos os cachorros são adequados para participar de um casamento. Considere a personalidade, o nível de treinamento e a tolerância do seu cachorro ao estresse antes de decidir envolvê-lo na cerimônia. Se mesmo assim o problema continuar, o mais aconselhável é consultar um comportamentalista animal para ajudar no treinamento do animal.

Por Alice Veloso